carregando...

SBP discute mudança de modelo com ANS e Unidas

Arquivo 27/10/2009

É necessário um novo modelo de relacionamento entre os profissionais e as empresas de saúde. A pediatria é uma especialidade diferente das demais. Não atua apenas como redutora de morbidades, mas como promotora de saúde na infância, na adolescência e também na vida adulta. Este o entendimento que resultou da reunião realizada hoje, em Brasília, entre as direções da SBP, da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) e da União Nacional das Instituições de Autogestão (Unidas), segundo os diretores da Sociedade. O encontro foi o primeiro de uma série, proposta pela própria ANS, em setembro, em resposta às reivindicações dos pediatras e ao movimento de valorização da especialidade, desencadeado pela SBP.

Deixando claro que reconhece a “singularidade” da medicina de crianças e adolescentes, o presidente da ANS, dr.  Fausto Pereira dos Santos, afirmou ser esta a razão de, pela primeira vez, a Agência se propor a intermediar a negociação entre uma especialidade médica e as operadoras. “Nada melhor que a negociação”, disse, lembrando que as empresas “têm compromisso com os usuários e precisam encontrar uma saída para garantir o atendimento”.

O vice-presidente da SBP, dr. Eduardo Vaz, apresentou os argumentos da entidade, explicitando a necessidade de “mudança da lógica da saúde” no Brasil, de maneira que seja privilegiada a assistência pediátrica qualificada”: “a consulta de puericultura é um atendimento completo e precisa ser remunerado como tal”, assinalou.

Dr. Dennis Burns discorreu sobre a mobilização nacional em curso não apenas no Distrito Federal, mas em vários estados, salientando que “não faltam pediatras, mas sim uma política de valorização da medicina de crianças e adolescentes, e que é preciso aperfeiçoar o relacionamento entre as empresas e os profissionais”.

O presidente do Departamento de Defesa Profissional da SBP, dr. Milton Macedo, defendeu o fim da “reconsulta” gratuita e de glosas injustificadas. O dr. Mário Lavorato, assessor da Sociedade para a Assistência Médica Suplementar, discorreu sobre o  modelo Procedimentos Padronizados em Pediatria (PPP), que prevê remuneração de todo o tratamento clínico realizado em consultório.

A presidente da Unidas, Iolanda Ramos, afirmou querer conhecer o PPP em detalhes, se disse “preocupada com o movimento da pediatria”, com a “gravidade da situação” e disposta a negociar. Para a continuidade da discussão e detalhamento das soluções, já foi agendado para 20 de novembro um novo encontro. “A questão é emergencial e não pode esperar. Foi um bom começo. Aproveito para assinalar que a iniciativa pode e deve ser feita também nos estados, a partir dos parâmetros já existentes”, disse o dr. Milton Macedo, lembrando a carta enviada pelo dr. Dioclécio Campos Jr às filiadas, em 22 de julho. Pelos pediatras, também estava presente o dr. José Marco Rezende de Andrade, diretor de Defesa Profissional da SPDF.

Pela Unidas, participaram também a vice-presidente, Maria Beatriz Coacci Silva e a diretora de Integração, Denise Eloi de Brito. Estiveram presentes ainda, pela Agência Nacional de Saúde Suplementar, a chefe de gabinete da presidência, Silvana Souza da Silva Pereira (ANS/DF) e Ana Carolina Rios, especialista em Regulação da Saúde (ANS/DF).


– Em notícias “Anteriores”,:
Relembre as informações, aqui no portal e participe!

A reunião com a ANS de 14/09/09

- Em “Departamento de Defesa Profissional” e em “Projetos de Lei e propostas para o sistema de saúde”, releia:

O atendimento médico de nossos filhos. Carta da Sociedade Brasileira de Pediatria aos pais de crianças e adolescentes. Imprima e entregue aos seus pacientes!

MOBILIZAÇÃO NACIONAL DOS PEDIATRAS (Mensagem do presidente da SBP, Portal da Sociedade, 24/07/09)

MOBILIZAÇÃO NACIONAL DOS PEDIATRAS (Mensagem da SBP aos presidentes das filiadas, 22/07/09)