carregando...

A culpa é do vírus

Arquivo 02/10/2008

SAÚDE

Surto de diarréia na pré-escola? Chame o rotavírus -a probabilidade de ter encontrado o culpado é enorme
IARA BIDERMAN
COLABORAÇÃO PARA A FOLHA

Um microorganismo em forma de roda é considerado o principal responsável por diarréias em crianças de até cinco anos. “No mundo todo, ocorrem cerca de 120 milhões de episódios de diarréia causados por rotavírus”, diz Roberto Tozze, pediatra do Instituto da Criança do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. Veja respostas para dez dúvidas sobre o vírus.

1. O QUE É ROTAVÍRUS?
São os vírus da família Reoviridae. Há vários grupos de rotavírus já identificados; cinco deles são mais importantes em relação às infecções em humanos.

2. O QUE ELE CAUSA?
Diarréia aguda, febre, náusea, vômitos e dor muscular.

3. OS SINTOMAS SURGEM SEMPRE QUE HÁ CONTAMINAÇÃO?
O vírus tem um período de incubação que dura cerca de três dias. Após isso, o quadro clássico é apresentar primeiro vômitos, seguido de vômitos e diarréia por mais alguns dias, e apenas diarréia no final do ciclo da infecção, que pode durar de três a sete dias.

4. COMO É FEITO O TRATAMENTO?
Não há tratamento para o rotavírus, mas é importante controlar a evolução dos sintomas. O principal risco é a desidratação. A orientação é repor os líquidos, se necessário com solução reidratante. Não se prescreve uma dieta específica para diarréia; o paciente deve tentar manter a alimentação habitual.

5. PODEM SER USADOS REMÉDIOS?
Não devem ser usados antidiarréicos nem antibióticos. Em crianças pequenas, os medicamentos contra vômitos podem causar efeitos colaterais importantes. Antitérmicos podem ser usados em caso de febre mais alta.

6. É POSSÍVEL CONTRAIR O VÍRUS E NÃO TER SINTOMAS?
Durante o período de incubação, o vírus é assintomático, mas pode ser transmitido a outras pessoas. Depois, os sintomas podem ser manifestar em diferentes graus.

7. COMO ACONTECE A TRANSMISSÃO?
A forma mais importante é por via oral-fecal. Ao levar à boca a mão ou objetos que tiveram contato com o vírus, eliminado em grande quantidade pelas fezes, ocorre a transmissão. A manipulação e a higienização inadequada de alimentos também leva à contaminação. Secreções respiratórias são uma fonte de transmissão possível, mas menos comum.

8. QUAIS SÃO AS FORMAS DE PREVENÇÃO?
Basicamente, medidas de higiene. Lavar as mãos freqüentemente, assim como objetos de uso que podem ser levados à boca (brinquedos inclusive). Os alimentos devem ser rigorosamente higienizados.

9. A VACINA CONTRA ROTAVÍRUS EVITA A CONTAMINAÇÃO?
Em algum grau, mas como há vários sorotipos, uma criança vacinada pode contrair o vírus.

10. QUALQUER PESSOA PODE SER VACINADA?
A recomendação é dar a vacina em duas doses a crianças menores de seis meses. Acima dessa faixa etária, há risco de complicações causadas pela vacina. Estudos mostraram que, em crianças maiores, ela pode causar invaginação intestinal, que é, de forma simplificada, como se a alça do intestino entrasse nela mesma.

Fontes: EITAN BEREZIN, presidente do departamento de infectologia da Sociedade Brasileira de Pediatria;FRANCISCO AOKI, infectologista do Hospital das Clínicas da Universidade Estadual de Campinas; ROBERTO TOZZE, pediatra do Instituto da Criança do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo