carregando...

A felicidade das crianças não se compra

Arquivo 27/06/2012

 

Pesquisa da Sociedade Brasileira de Pediatria mostra que os pequenos se alegram mesmo é com a presença dos pais e brincadeiras coletivas

Publicado em 25/06/2012 | JULIANA GONÇALVES

A julgar pelos resultados de pesquisa recente da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) com crianças, não é preciso muito para deixá-las felizes. Fazer as refeições com os pais, por exemplo, traz uma satisfação maior do que se deleitar com eletrônicos de última geração.

A pedido da SBP, o Instituto Datafolha ouviu 1.525 crianças de 4 a 10 anos, de todas as classes econômicas, de 131 municípios de todo o país. O estudo, inédito no Brasil, explorou o estado emocional de meninos e meninas com relação à família, ao futuro, às brincadeiras e à escola. Os dados deixam claro que os motivos de alegria ou tristeza são os mesmos para os pequenos de diferentes regiões e classes sociais.

(…) Estar perto dos pais é motivo de alegria para a maioria das crianças. Para 87% delas, o bom é ficar perto da mãe; para 78%, do pai. Fazer refeições em família, mostrou a pesquisa, deixa 87% das crianças satisfeitas, mesma porcentagem dos que se alegram quando estão com os avós. “A importância que as crianças dão à família mostra o quanto a terceirização dos cuidados as afeta”, avalia a psicóloga Maíra Bonafé Sei.

Para o pediatra e presidente da SBP, Eduardo da Silva Vaz, boa parte dos adultos não tem a percepção de que a criança fica bem em situações muito corriqueiras. “Muitos pais trocam o tempo com os filhos para trabalhar além do necessário e poder oferecer bens materiais”, afirma Vaz.

 Leia a matéria na íntegra.