carregando...

A Força do Bem

Arquivo 02/01/2008

Isabel, como está Analuz, a “estrela” de 2001?
Muito bem, feliz. Eu já esperava por isso. É uma criança forte, um ano e meio de aleitamento materno!… A dificuldade foi só para introduzir a comida, ela só queria o peito….

E o caçulinha?
Jamal Anuar não mamou esse tempo todo. Tem a Síndrome de West e não conseguia sugar. Mas eu tirava o leite e dava.

Como está agora?
Bem melhor, está evoluindo, aos poucos.

Você fundou uma ONG?
Sim, chama-se A Força do Bem. É voltada para as pessoas com deficiência. Sei agora das dificuldades. No caso da Síndrome, a criança vai retardando o desenvolvimento psicomotor, é bem grave. Mas pesquisando, acabei sabendo que há muitos casos no Brasil.

A ONG está fazendo um cadastro?
Sim, o primeiro cadastro geral. Firmamos agora um convênio com o Ministério Público do Trabalho, a propósito da lei de cotas.

Pode explicar?
Existe uma lei de cotas para o deficiente no mercado de trabalho. Só que é uma dificuldade, tanto para o empresário encontrar essas pessoas, quanto para os interessados chegarem ao mercado de trabalho. Isso por vários motivos, por preconceito, mesmo por negligência do mercado formal. Nosso cadastro é nacional e específico, personalíssimo, com o nome, endereço eletrônico, telefone, onde mora, tipo de deficiência. É um banco de dados. Vai servir também para o Ministério da Saúde, para pesquisadores e está crescendo muito. O contato pode ser feito pelowww.aforçadobem.org.br.