carregando...

Abbott é a mais nova “Empresa Cidadã”

Arquivo 11/05/2010

A Abbott Brasil aderiu ao programa “Empresa Cidadã” para garantir seis meses de licença-maternidade para as suas funcionárias. O comunicado foi feito na última quinta-feira, na sede administrativa, em São Paulo, em evento que comemorou o Dia das Mães com cerca de 450 funcionários e que contou com a presença do presidente da SBP, dr. Eduardo Vaz, dos vice-presidentes, drs. Fabio Ancona e Joel Lamounier, e da dra. Virgínia Weffort, do Departamento Científico de Nutrição. O Programa foi criado com a lei 11.770, resultante do projeto de autoria da senadora Patrícia Saboya em parceria com a SBP e prevê a concessão dos seis meses de licença para as trabalhadoras da iniciativa privada que optarem pelo benefício estendido. Os dois meses a mais de licença também são facultativos para as empresas, que receberão incentivos fiscais do governo federal.

“A adesão extrapola os muros da Abbott pelo exemplo, pela importância da participação de uma empresa deste porte, que certamente fará com que outras sigam o caminho do apoio à infância e à maternidade”, salientou o dr. Eduardo Vaz. O evento foi aberto por Gaetano Crupi, gerente-geral da Abbott International e o anúncio do benefício feito pela diretora de Recursos Humanos, Carla Rosenthal. Também estavam presentes, pela direção, Marcos Dumas, gerente-geral da Abbott Dignostics; Jane Gomes, gerente-geral da Abbott Point of Care e Wilton França, gerente-geral da Abbott Nutrition (na foto com os diretores da SBP).

Dr. Eduardo recebeu duas placas – uma dirigida à SBP, por seu “pioneirismo” e “compromisso” que “inspirou” a empresa a “ampliar o benefício” para suas trabalhadoras e outra ao dr. Dioclécio Campos Jr., ex-presidente e atual assessor para assuntos parlamentares da entidade, pela “idealização” da proposta”, “por sua persistência” e “dedicação” à causa.

A Abbott Brasil tem cerca de 1.300 funcionários e desde 01 de maio as funcionárias podem escolher se querem quatro ou seis meses de licença, apenas precisando comunicar isto até 30 dias depois do parto. Também são beneficiadas mães que já estão em licença. A regulamentação da Lei 11.770/08 ocorreu em janeiro deste ano e segundo levantamento da Folha de S. Paulo, das 40 maiores empresas do País, 10 afirmaram conceder o benefício às sua funcionárias.

A empresa tem cerca de 1.300 funcionários no Brasil, dos quais cerca de 57% são mulheres. Na plateia do evento que marcou o Dia das Mães, cerca de 450 trabalhadores.