carregando...

Debate, premiação e defesa profissional na Reumatologia Pediátrica

Arquivo 11/11/2011


Da esq. para a dir., os drs. Eduardo Vaz, Ana Rolim, Hans Greve, presidente da Sociedade Baiana de Pediatria, Jorge Solla, secretário de saúde da Bahia e Fernando Barreiro, presidente do Congresso Brasileiro de Pediatria

O saldo do 8º Congresso de Reumatologia Pediátrica, realizado em outubro, em Salvador, é extremamente positivo, segundo a presidente, dra. Ana Rolim. Com mais de 100 participantes, o evento reuniu professores do Brasil e de países como Itália, Canadá e França. A programação científica, elaborada com a colaboração dos colegas, drs. Margarida Carvalho, Cláudio Len, Clovis Silva, Maria Odete Hilário e Teresa Terreri, proporcionou “debates muito enriquecedores”, comenta a dra. Ana, elogiando a “excelência das aulas” e agradecendo “o empenho e a disponibilidade de todos”.

Na avaliação da dra. Margarida Carvalho, presidente do Departamento Científico (DC) de Reumatologia da SBP, também o evento foi “maravilhoso”: “Além da oportunidade de rever e conhecer colegas, foi importante a discussão de temas que fazem parte do dia-a-dia do médico pediatra e reumatologista, condutas em doenças como lúpus, febre reumática, artrites crônicas na infância e também com as mais raras, como as autoinflamatórias. Foram ainda amplamente abordados os novos medicamentos em pediatria”.

Defesa profissional e reumatologia

Durante o Congresso, o DC se reuniu e teve como pauta a defesa profissional – “a remuneração do reumatologista nos convênios, a prática da área por médicos não especializados, a falta de medicamentos importantes em alguns estados”, adianta a dra. Margarida, informando que está organizando um relatório para a diretoria da SBP e das entidades médicas nacionais. Além disso, a ideia é “criar, em 2012, um grupo de especialistas, congregando serviços de todo o País. Como somos muito unidos, pensamos em realizar estudos com colegas de vários centros, como ocorre já no exterior”. De acordo com a presidente do Departamento, isso facilitaria o entendimento de certas doenças raras, o tratamento das crianças e a publicação de artigos, coletivamente.

Premiação

Os melhores trabalhos científicos foram premiados no 8º Congresso em duas categorias: estudos originais e relatos de caso. Dra. Adriana de Jesus, do Instituto da Criança HC-FMUSP, conquistou o 1º lugar entre os originais, com o artigo intitulado “Síndromes Autoinflamatórias Hereditárias: Um Estudo Multicêntrico Brasileiro”. A primeira colocação dentre os relatos de casos ficou com a dra. Marta Rodrigues, da Universidade Federal do Rio de Janeiro, com “Síndrome Cinca e Tocilizumabe: resposta clínico-laboratorial após 10 meses de uso”. As duas foram contempladas com “apoio educacional para o Annual European Congress of Rheumatology (EULAR), que ocorrerá em Berlin, em 2012, incluindo passagem aérea, hospedagem e inscrição”, informa a dra. Ana Rolim. Os 2º e 3º lugares nas duas categorias ganharam apoio para o XXIX Congresso Brasileiro de Reumatologia 2012, incluindo passagem aérea, hospedagem e inscrição.