carregando...

Pediatras podem suspender atendimento

Arquivo 17/01/2013

Integrantes da Sociedade Paraense de Pediatria vão se reunir hoje, em assembleia, para definir os rumos dos atendimentos aos planos de saúde no Estado do Pará.

A reunião vai contar com a presença do presidente da Sociedade Brasileira de Pediatria, Eduardo Vaz, e representantes de diversas instituições do setor médico. Durante o encontro será discutida a possibilidade de suspender os atendimentos aos planos de saúde.

Desde a última segunda-feira, começou a valer a medida anunciada pelo ministro da Saúde Alexandre Padilha, que proíbe 28 operadoras de saúde a venderem 225 planos.

A decisão foi tomada a partir do não cumprimento da regra que determina prazos máximos de atendimentos para consultas, exames e cirurgias. A proibição de vendas deve durar três meses.

Segundo a Sociedade Paraense de Pediatria, não são somente os consumidores que têm motivos para reclamar das operadoras de saúde. A classe médica também reivindica melhorias quanto aos valores de consultas, inclusão de procedimentos e autonomia profissional.

RECLAMAÇÃO

A presidente da Sociedade Paraense de Pediatria, Rejane Cavalcante, disse que atualmente “os pediatras estão sobrecarregados e estão atendendo muitas crianças por dia. E, na maioria das vezes, o tempo não é suficiente para se dedicar a alguns detalhes na consulta. Caso as negociações com as operadoras não avancem, vamos parar”.

No final de 2012, a classe médica fez uma mobilização contra as operadoras de saúde em Belém. A Sociedade Paraense de Pediatria decidiu suspender os atendimentos aos planos de saúde durante 15 dias em outubro. A principal reivindicação da categoria é a inclusão do procedimento de puericultura na lista dos planos.