carregando...

Pediatria do Cone Sul assina parceria com Unicef

Arquivo 26/05/2014
Dirigentes das Sociedades do Cone Sul com representantes do Unicef, à esq. e à dir.
Dirigentes das Sociedades do Cone Sul com representantes do Unicef, à esq. e à dir.

Na reunião do Fospecs, dentre outros assuntos, a Comissão de Ensino do Fórum discutiu a implantação do currículo do Global Pediatric Education Consortium (GPEC) – aliança que representa cerca de 50 países, como China, Japão, Estados Unidos, Alemanha e Brasil. De seu lado, o grupo de trabalho responsável pelo Exercício Profissional debateu a situação e possíveis soluções para as dificuldades enfrentadas pelas mulheres na pediatria.Desenvolver esforços que contribuam para a redução da mortalidade infantil – que é um dos Objetivos do Milênio (ODM) a serem cumpridos por todos os países até o ano que vem. Essa a meta da parceria assinada em Córdoba, na Argentina, em abril, pelo Fórum Permanente das Sociedades de Pediatria do Cone Sul (Fospecs) e pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef). Também foi firmada a Promessa de Renovação de Compromisso com as Américas.

Estavam presentes representantes das Sociedades da Argentina, Chile, Paraguai, Bolívia, e Brasil. Pela SBP, participaram o presidente. Eduardo Vaz, o representante na América Latina, Ercio Amaro de Oliveira Filho e Dioclécio Campos Jr., que é secretário-executivo do Fórum. A próxima reunião foi marcada para novembro, em Assunção, no Paraguai.

Secretário do GPEC no Brasil

Antes, em agosto, o norte-americano Hazen Ham, secretário-executivo do GPEC, virá ao Brasil e visitará unidades que, como o Instituto de Medicina Integral Professor Fernando Figueira (IMIP), em Pernambuco, começam a implantar o novo currículo mundial, juntamente com a residência em três anos. Participará também, em Recife, de Encontro com Preceptores do Nordeste organizado pela SBP. Em seguida, conhecerá o trabalho que vem sendo feito pela Universidade de São Paulo (USP)/ Instituto da Criança, seguindo depois para Buenos Aires, onde há três unidades piloto do novo currículo mundial, e Assunção, no Paraguai, que conta com uma. Até 2016 a nova formação da medicina de crianças e adolescentes terá chegado a todos os serviços brasileiros.

unicef conesul