carregando...

Por mais qualidade no ensino médico!

Arquivo 11/06/2008

O Brasil tem, atualmente, cerca de 320.000 médicos, sendo um para 580 habitantes – o dobro do mínimo recomendado pela OMS. “São 175 escolas médicas, sendo 104 privadas e 71 públicas. Nos próximos anos, após o reconhecimento de 50 cursos de medicina já credenciados pelo MEC, serão diplomados 17.294 novos profissionais por ano”. Os dados são do dr. Edward Tonelli, presidente daAcademia Brasileira de Pediatria (ABP), e foram apresentados durante o VII Fórum “As Transformações da família e da sociedade e seu impacto sobre a infância e a juventude”, realizado no dias 10 e 11, em Salvador.

Dr. Tonelli chamou de “descalabro” o credenciamento e o reconhecimento de “acentuado número de cursos” da área no País, informou sobre a legislação vigente, sobre os projetos de lei em tramitação, o posicionamento das entidades, forneceu inúmeros dados sobre diferentes aspectos da realidade. Também apresentou os critérios que podem contribuir para a melhoria da qualidade da formação de novos profissionais, de maneira a fazer valer os “princípios fundamentais”centrados nos em “quatro pilares da ciência/arte de Hipócrates: ouvir, ler, ver e fazer” – que incluem, portanto, proporcionar aos alunos “laboratórios bem equipados, ensino ambulatorial e hospitalar em sintonia com a comunidade e corpo docente habilitado”, entre outros fatores. Leia a íntegra do artigo dr. Tonelli, professor da Universidade Federal de Minas Gerais, e que serviu de base à sua palestra.

Presidido pelo dr. Júlio Dickstein e coordenado também pelo acadêmico Nelson Barros, o VII Fórum da Academia contou com 200 participantes, entre profissionais de diferentes áreas. Dr. Dioclécio Campos Jr., presidente da SBP, fez conferência sobre “o futuro da pediatria”. Dr. José Tavares Neto, diretor da Faculdade de Medicina da Bahia (Famed), que comemora 200 anos em 2008, discorreu sobre a importância da instituição na formação do médico brasileiro. A mesa-redonda sobre “a evolução histórica do ensino da pediatria na Bahia” contou com as contribuições da dra. Lícia Maria Moreira, e a dra. Luciana Rodrigues Silva, pediatras e professoras da Famed. O evento seguiu debatendo os “caminhos éticos no relacionamento pediatra/família/paciente”, com os drs. Nubia Mendonça, Antonio Néri Alves Filho, Feizi Milani, Solange Rubim, Luís Fernando Matos Pinho e Isabel Freitas. Também esteve em pauta a “importância da educação em saúde ambiental”, tema abordado pelo dr. Daniel Beltramino, da Argentina. No encerramento, uma apresentação do Grupo Olodum Mirim, com exposição do dr. José Dias Rego, secretário da ABP. Saiba mais sobre a Academia