carregando...

Posse, congresso e valorização da pediatria em São Paulo

Arquivo 27/03/2013

Petição para restringir propaganda de cerveja na TV para crianças e adolescentes

Da esq.para a dir.,sentados, Florisval Meinão, presidente da Associação Paulista de Medicina; Marilene Rezende Melo, presidente da Associação Brasileira de Mulheres Médicas; Jorge Carlos Machado Curi, vice-presidente da Associação Médica Brasileira; Mario Roberto Hirschheimer; Eduardo da Silva Vaz; Cid Célio Jayme Carvalhaes, presidente do Sindicato dos Médicos de São Paulo e Fernando José de Nobrega. Clóvis Constantino faz seu discurso.

 

Para o dr. Mário, a rede pública, que atende a grande maioria dos pacientes, precisa ser referência, com uma carreira, um plano de cargos e salários, e a qualidade de atendimento que a população merece. “Crianças e adolescentes devem ser assistidos por pediatra!”, frisa, adiantando que a equipe continuará o trabalho que veio sendo liderado pelo dr. Clóvis Francisco Constantino, presidente na gestão 2010-2013.A valorização da pediatria, com destaque para o serviço público, está no centro das preocupações da Sociedade de Pediatria de São Paulo (SPSP), assinala o dr. Mário Roberto Hirschheimer, que tomou posse como presidente da entidade, no último dia 19, no encerramento do 13° Congresso Paulista de Pediatria, na capital. A cerimônia contou com a presença de várias lideranças médicas, dentre as quais o presidente da SBP, Eduardo da Silva Vaz, e o presidente da Academia Brasileira de Pediatria (ABP), Fernando José de Nóbrega.

Nova diretoria executiva da SPSP (2013 – 2016)

Presidente: Mário Roberto Hirschheimer
1º vice-presidente: Clóvis Francisco Constantino
2º vice-presidente: João Coriolano Rego Barros
Secretário geral: Maria Fernanda Branco de Almeida
1º secretário: Ana Cristina Ribeiro Zollner
2º secretário: Tadeu Fernando Fernandes
1º tesoureiro: Renata Dejtiar Waksman
2º tesoureiro: Lucimar Aparecida Françoso

Movimento para alterar legislação de bebidas alcoólicas

O 13º Congresso Paulista de Pediatria foi um grande sucesso, com mais de 2.700 inscritos e 134 atividades científicas, em quatro dias de evento. Na abertura, o dr. João Paulo Becker Lotufo, da SBP e responsável pelo Projeto Antitabágico do Hospital Universitário da USP, apresentou dados colhidos por seu serviço de 2002 a 2012, que mostram que as intoxicações alcoólicas agudas têm “aumento expressivo” aos 14 anos. Por isso, a SBP e a SPSP convidaram os presentes a assinar petição pública para alterar a Lei Federal nº 9. 294/96, que só restringe a publicidade de bebidas com teor alcoólico acima de 13 graus Gay-Lussac, como uísque e cachaça, deixando de lado cervejas e vinhos, por exemplo.

A proposta, liderada pelo Ministério Público de São Paulo, tem por objetivo viabilizar Projeto de Lei de Iniciativa Popular, que altere a legislação, para que as restrições à publicidade passem a abranger toda e qualquer bebida com graduação alcoólica igual ou superior a 0,5 grau Gay-Lussac. Entre as restrições, estão limitar a propaganda nas emissoras de rádio e televisão ao período entre vinte e uma e seis horas e a não associação do produto ao esporte olímpico ou de competição, ao desempenho saudável de qualquer atividade, à condução de veículos e a imagens ou ideias de maior êxito ou sexualidade das pessoas. A justificativa é que a redação atual contribui para o consumo indevido por crianças e adolescentes.

Petição

A petição pública deve ser impressa e as folhas assinadas, remetidas para a Rua Conselheiro Ramalho, 726 – Bela Vista – CEP 01325-000 – São Paulo – SP. Clique aqui e participe!

Matérias relacionadas – Folha de S. Paulo, 16 de março. “Abuso de álcool por jovens faz médicos mirarem publicidade” – releia aqui.

Dr. João Paulo Lotufo e colegas, participantes do Congresso Paulista, assinando a petição