carregando...

Rio de Janeiro sofre com falta de atendimento pediátrico

Arquivo 03/05/2013

Conseguir atendimento com um pediatra no Brasil é um martírio, até mesmo em hospitais particulares. Os baixos salários afastam os profissionais e unidades de saúde priorizam outro tipo de especialidade. No Rio de Janeiro, pelo menos quatro serviços de pediatria foram fechados nos últimos meses. (…) A redução de leitos pediátricos atinge ainda a rede pública de saúde do Rio, o Instituto de Pediatria da UFRJ, referência na área, está fechado (…) Quem consegue ser atendido enfrenta demora, e unidades lotadas. Produtores do Jornal da BAND percorreram 10 hospitais públicos e privados da zona Norte do Rio e em apenas 4 pediatras estavam trabalhando.

As principais justificativas para o problema são os baixos salários oferecidos aos médicos e a prioridade que os hospitais dão a pacientes que não são crianças. “Os hospitais da rede privada recebem por procedimentos (…)estão fechando os seus serviços de pediatria” – diz Eduardo Vaz, presidente da Sociedade Brasileira de Pediatria.

A falta de pediatras afeta outras cidades do país. Em Salvador, por exemplo, é difícil conseguir consultas para crianças. Mas não faltam profissionais formados, são pelo menos 30 mil pediatras no país. Tanto no setor público como no setor privado existe um salário inadequado para esses profissionais – conta Márcia Araújo, presidente do CREMERJ.

Clique aqui e assista a matéria na íntegra