carregando...

Santa Catarina negocia com Unidas

Arquivo 17/12/2010
Da esq. para a dir., drs. Rosamaria Medeiros e Silva, Helena Maria Correa de Sousa Vieira, Álvaro José de Oliveira, Genoir Simoni, Marilza Leal Nascimento, Eduardo Vaz e Denise Bousfield.

Na reunião, dr. Saul Fabre, diretor do Departamento de Convênios da SCP, apresentou a carta firmada entre a SBP e a Unidas nacional, salientando que trata-se de “um norte, embora a negociação seja regional”. No documento da SCP, foi acrescentada a necessidade de pagamento de mais 30% nos procedimento de urgência e emergência em horários especiais, conforme preconiza a Classificação Brasileira Hierarquizada de Procedimentos Médicos (CBHPM), em suas instruções gerais. “Alguns planos cumprem isso e outros não”, disse.Com a presença do dr. Eduardo Vaz, a Sociedade Catarinense de Pediatria (SCP) fez uma reunião extraordinária na capital, no último dia 03, na qual os associados decidiram apresentar à Unidas a reivindicação de que a consulta seja remunerada com R$80,00 e o Atendimento Ambulatorial em Puericultura com R$112,00. Um documento conjunto com a  Associação Catarinense de Medicina (ACM) foi encaminhado à operadora, e a resposta é aguardada para o dia 20, próxima segunda-feira. Segundo a presidente, dra. Denise Boulsfield, a negociação está sendo realizada inicialmente com a operadora da Grande Florianópolis,  mas “o objetivo é seguir pleiteando melhorias para todo o estado”.  Elogiando a contribuição do  dr. Eduardo Vaz, dra. Denise diz que o presidente da SCP “ajudou muito na tomada de decisão” e “antes de partir para o descredenciamento, resolvemos investir na negociação, dando mais este prazo para um acordo. Foi uma decisão aprovada por unanimidade pelos pediatras e também por representantes da maioria das clínicas pediátricas”, informa.

Na mesma data, a SCP inaugurou uma nova sede. “A ACM foi reorganizada para reunir todas as especialidades no mesmo espaço físico. Isso facilitará a troca de experiências. A decisão foi tomada na gestão anterior, presidida pela dra. Marilza Leal”, informa a dra.  Denise.