carregando...

SBP esclarece declarações veiculadas pela imprensa

Arquivo 21/06/2010

Sociedade Brasileira de Pediatria esclarece

A propósito das recentes declarações veiculadas pela imprensa, atribuídas ao secretário de saúde do município do Rio de Janeiro, Hans Dohmann, a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) esclarece:

1. Não faltam pediatras do Brasil, o que falta é uma política pública que priorize a saúdeparticularmente das crianças e dos adolescentes. Há no Brasil cerca de 36 mil pediatras, 18 por 100.000 habitantes –, índice maior do que o recomendado pela Organização Mundial da Saúde. No caso específico do estado do Rio de Janeiro, há um número ainda mais expressivo: são aproximadamente 34 pediatras por 100 mil habitantes.

2. Diferentemente do que foi divulgado, a SBP não foi procurada pelo secretário do município do Rio de Janeiro, nem planeja nenhum curso para treinamento de não-pediatras para atender a faixa etária de responsabilidade da pediatria (0 a 20 anos). Nem poderia fazer isto, posto que já há bem mais de um século sabe-se que a criança não é um adulto pequeno. A emergência é, aliás, momento delicado no qual o paciente pediátrico precisa ser atendido pelo profissional que foi formado para isto.

3. O número de médicos interessados na opção pela especialidade está em faseascendente. Prova disto é que este ano tivemos 15% de acréscimo nas inscrições para a prova do Título de Especialista em Pediatria (TEP) em relação ao ano passado. Foram 961 candidatos em 2010 contra 835 em 2009.

4. As mães têm ciência da importância da pediatria. Pesquisa realizada pela SBP e pelo Instituto Datafolha em 2006 constatou: 97% das entrevistadas afirmaram querer queseus filhos sejam atendidos pelo pediatra, pois sabem que é o profissional capacitado para isto.

5. A solução para as dificuldades atualmente encontradas pelas famílias na assistência à saúde de seus filhos depende de uma decisão: priorizar a infância e a adolescência conforme já determina a lei, estabelecendo uma política de recursos humanos capaz de enfrentar a questão.

Eduardo da Silva Vaz, presidente da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP).