carregando...

Sobre o risco de reurbanização da febre amarela

Arquivo 09/01/2008

“Não há motivo para alarde. Existem estudos em andamento e não se pode afirmar que haja risco de reurbanização da doença”. A afirmação é do presidente do Departamento de Infectologia da SBP, dr. Eitan Berezin. A indicação da Sociedade, de vacinação para os residentes de áreas de risco e para os que viajam para elas, se mantém. A Febre Amarela foi erradicada das cidades há décadas. “O que houve foi que, no Distrito Federal, 11 macacos apareceram mortos recentemente, em parque de Brasília, e até mesmo em terreno de uma casa do Lago Norte”, comentou o dr. Dioclécio Campos Jr., presidente da SBP. “As autoridades de Saúde se mobilizaram, o material foi recolhido para análise e a população está tendo a vacinação atualizada contra a febre amarela”, completou.

Os jornais noticiaram também que, em Goiás, um trabalhador rural morreu com sintomas da doença, depois que dezenas de macacos foram infectados na região. Também veicularam informação de que a Secretaria de Saúde do Distrito Federal confirmou a suspeita do que pode ser o primeiro caso de febre amarela em Brasília. O funcionário público, que tinha passado o final de ano em Pirenópolis (GO) e não era vacinado contra a doença, morreu em 08 de janeiro. A Secretaria afastou a possibilidade de febre amarela no caso do outro paciente, que morreu no sábado, e “sugeriu infecção bacteriana”, segundo informação da Folha de S. Paulo.
O Governo recomendou a vacinação contra a doença às pessoas que pretendem viajar para 12 estados e o Distrito Federal, e para algumas localidades de outros seis estados.
Temporão descarta epimedia de febre amarela (Ministério da Saúde, 09.01.2008)

Suspeita de febre amarela lota postos de vacinação no DF (Folha de S. Paulo, 9/01/08)

 

Saúde intensifica vacinação contra febre amarela (Ministério da Saúde/ MS, 07/01/08)

 

Nota do Ministério da Saúde sobre a ocorrência de morte de macacos.