Criança respiradora oral – orientações para os pais

Departamento Científico de Alergia

  • O processo da respiração é complexo. Porém, para que a respiração seja normal e eficiente, o bom funcionamento do nariz é essencial. Quando inspiramos, o ar é filtrado, aquecido e umidificado nas cavidades nasais. Algumas crianças não conseguem respirar bem pelo nariz e são chamadas de respiradores orais ou bucais. Essa situação não é normal e pode acarretar vários problemas para a criança.

  • As crianças respiradoras orais ou bucais, em geral, não dormem bem. A troca do oxigênio durante a noite pode ser comprometida, o olfato pode se alterar, levar à perda do sabor do alimento e provocar, ainda, dificuldades para mastigar e para engolir. Outros problemas provocados pela má respiração são dor de cabeça, roncos e interrupções prolongadas do ato de respirar (apneia).

  • Estas alterações na respiração provocam vários sintomas nas crianças. São relatados problemas na escola, como déficit de atenção e dificuldade de concentração, além da perda do apetite, dificuldades de controle de urina durante a noite, alterações na arcada dentária, na face e na fala.

  • Sim. Uma das causas mais comuns de respiração oral é a rinite alérgica. Essa doença se caracteriza pelo nariz sempre escorrendo, coçando, entupido e espirros seguidos, sem presença de febre. A sensação de nariz entupido atrapalha a respiração e faz com que a criança respire pela boca.

  • O papel do médico é fundamental para fazer o diagnóstico da causa dessa dificuldade de respiração. Além da rinite, outros problemas podem levar a esse transtorno. Nesses casos, é necessária uma avaliação médica cuidadosa da criança. Por vezes, encontramos mais de uma causa. Por isso, é importante um diagnóstico preciso para garantir o sucesso do tratamento, o qual trará melhor qualidade de vida e benefícios para a saúde da criança e do adolescente.

  • Há uma série de problemas de saúde que estão associados à respiração oral ou bucal nas crianças. Como mais de um deles pode estar associado a um só paciente, mais do que nunca é preciso um exame clínico adequado para fechar o diagnóstico. A seguir, a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), por meio de seu Departamento Científico e de Imunologia, aponta os principais. Leia com atenção e, se tiver dúvidas, procure um médico:

    1) Condições associadas à respiração oral na infância

    • Síndrome de Apert
    • Síndrome de Crouzon
    • Síndrome de Godenhar
    • Síndrome de Pierre Robin
    • Síndrome de Treacher-Collins
    • Síndromes craniofaciais

    2) Doenças neurológicas

    • Malformação de Arnold-Chiari
    • Meningomielocele
    • Paralisia cerebral
    • Distrofia muscular de Duchene

    3) Condições acompanhadas de tônus muscular anormal

    • Hipotireoidismo
    • Síndrome de Down
    • Síndrome de Prader-Willi

    Condições que se associam com redução da potência das vias aéreas superiores

    Anomalias craniofaciais

    Causas funcionais como a sucção de bicos e dedos, o uso de mamadeira e a falta de aleitamento materno

    Estenose subglótica

    Fenda palatina

    Hipertrofia adenotonsilar

    Laringomalácia

    Macroglossia

    Mucopolissacaridose e outras doenças metabólicas de depósito

    Obesidade

    Rinite alérgica 

Nossos Endereços

SBP-Sede • R. Santa Clara, 292 - Rio de Janeiro (RJ) - CEP: 22041-012 • 21 2548-1999 

FSBP • Alameda Jaú, 1742 – sala 51 - São Paulo (SP) - CEP: 01420-002 • 11 3068-8595 / 8618 / 8901 / 8675 • Fax: 3081-6892 

SBP-RS • R. Carlos Gomes, 328/305 - Porto Alegre (RS) - CEP: 90480-000 • 51 3328-9270 / 9520 

Memorial • Rua Cosme Velho, 381 - Cosme Velho (RJ) - CEP: 22241-125 • 21 2245-3110