Estou grávida. O que fazer para conseguir amamentar?

Departamento Científico de Aleitamento Materno 

  • A amamentação é considerada a melhor forma de alimentar o bebê, mas apesar de ser natural, ela traz muitas dúvidas que, se não esclarecidas em tempo, podem levar ao desmame. O fundamental para o sucesso na amamentação é ter o desejo de amamentar e acreditar que é capaz de amamentar o seu filho. Para isso, é preciso conhecer as inúmeras vantagens do aleitamento materno para a mãe, a criança, a família e a sociedade.

  • Naturalmente, durante a gravidez, o corpo já se modifica para essa função. As mamas ficam maiores, as aréolas (a parte escura em volta do mamilo) mais escuras e os mamilos mais sensíveis. Por isso, atualmente não se recomendam, por exemplo, exercícios que esticam os mamilos ou esfregar os mamilos com buchas ou tecidos ásperos, nem banho de sol nas mamas, mas sim procurar ter informação de qualidade.

  • Ter conhecimento de onde procurar ajuda é essencial. Por isso, a SBP recomenda uma consulta com o pediatra a partir da 32ª semana de gestação. É preciso entender que o estado psicológico pode influenciar a produção de leite. Por isso, é importante que a mulher procure ajuda se perceber que está vivendo momentos de estresse ou insegurança, seja antes ou depois do parto. Tenha cautela quanto aos conselhos que chegam de toda parte. Existem muitas dúvidas em relação à amamentação e muitas vezes um conselho inadequado pode trazer insegurança à mãe.

  • A Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) recomenda para as futuras mamães (e papais) que:

     

    Visitem a maternidade onde o bebê está programado para nascer;

    Iniciem a amamentação já na sala de parto, colocando o bebê em contato pele-a-pele o mais cedo possível, depois do nascimento do bebê;

    Fiquem juntos, mãe e bebê, no mesmo quarto após o nascimento (alojamento conjunto) até a alta;

    Procurem sair da maternidade sabendo como retirar o leite do peito.

  • Antes de sair da maternidade, certificar-se de que o bebê está mamando de forma adequada, pois, se não for assim, pode machucar a mãe e não conseguir retirar com eficiência o leite da mama. Existem diversas posições para a mulher amamentar: pode ser sentada, recostada, deitada ou em qualquer outra posição que lhe seja agradável, familiar e mais adequada ao momento. Mas atenção: ao colocar o bebê para mamar verifique se:

    ü  a cabeça e o corpo do bebê estão alinhados, ou seja, se o pescoço do bebê não está torcido;

    ü  o bebê está bem apoiado, com o corpo voltado para a mãe e coladinho ao seu corpo (barriga com barriga);

    ü  a cabeça do bebê está bem de frente para a mama e se o nariz da criança está na altura do mamilo;

    ü  o bebê está com a boca bem aberta e com os lábios virados para fora como se fosse uma boca de peixe;

    ü  depois de ter pego a mama, tem mais aréola em cima do que embaixo da boca do bebê. 

  • A pratica do aleitamento materno exclusivo deve se estender até os 6 meses. Isso significa que até essa idade os bebês não precisam de mais nada, nem água ou chá, muito menos de outros leites. Após esse período, a criança deve começar a receber outros alimentos, saudáveis, e continuar a amamentação por 2 anos ou mais, se esse for o desejo da mulher e da criança.

Nossos Endereços

SBP-Sede • R. Santa Clara, 292 - Rio de Janeiro (RJ) - CEP: 22041-012 • 21 2548-1999 

FSBP • Alameda Jaú, 1742 – sala 51 - São Paulo (SP) - CEP: 01420-002 • 11 3068-8595 / 8618 / 8901 / 8675 • Fax: 3081-6892 

SBP-RS • R. Carlos Gomes, 328/305 - Porto Alegre (RS) - CEP: 90480-000 • 51 3328-9270 / 9520 

Memorial • Rua Cosme Velho, 381 - Cosme Velho (RJ) - CEP: 22241-125 • 21 2245-3110