Merenda escolar

Departamento Científico de Nutrologia

  • Crianças com idade entre 7 a 10 anos são consideradas escolares. Este é um período em que elas praticam muita atividade física e apresentam crescimento de estatura constante. Por isso, é muito importante que a qualidade e a quantidade da alimentação estejam adequadas às suas necessidades diárias e que hábitos saudáveis sejam estimulados. 

  • Sim. A qualidade da merenda ou do lanche ingerido nas escolas pode interferir na saúde dos estudantes. É um momento de risco, no qual a criança pode adquirir produtos na cantina da escola, que não necessariamente obedecem às recomendações da alimentação saudável. Assim, o jovem fica exposto à excessiva ingestão de açúcares, gorduras e sal. Ressalte-se: uma alimentação inadequada está relacionada com uma maior incidência de doenças crônicas, como pressão alta, diabetes e câncer.

  • A merenda escolar deve fornecer a cada criança entre 200 a 250 calorias por dia, podendo haver variações de acordo com o estado nutricional do escolar: obesidade ou magreza. No dia a dia, deve-se estimular um lanche variado, com a presença de diversos grupos alimentares, como frutas e legumes; carboidratos e fontes proteicas. É importante, ainda, estimular o consumo de carboidratos complexos (bolachas integrais, bolos com farinhas integrais e pão integral na confecção do sanduíche) em detrimento dos simples (açúcares e refrigerantes). Como o consumo diário de frutas, verduras e legumes deve ser de pelo menos 5 porções por dia, é fundamental que na merenda escolar contemplem de uma a duas dessas porções. Finalmente, recomenda-se que o escolar faça o consumo diário de 500 a 750 mL de leite ou o equivalente em seus derivados, ou seja, inclua em sua merenda iogurte ou queijo.

  • Sim. A higiene é outro ponto que merece atenção no momento em que se discute a qualidade da merenda escolar. Para tanto, deve-se fazer a limpeza adequada dos utensílios e sempre utilizar lancheiras de material térmico, além de guardar os alimentos perecíveis em geladeira. Em períodos muito quentes é melhor que a merenda seja composta de produtos industrializados.

  • Não. A merenda deve priorizar alimentos frescos, sucos e leite. Apenas em circunstâncias especiais devem ser consumidos alimentos industrializados. Esses produtos devem ser usados com parcimônia. De forma geral, recomenda-se restringir o consumo de refrigerantes, sucos e bebidas à base de soja. Também deve ser evitada a ingestão de alimentos industrializados ricos em gorduras, sal e açúcares, como bolachas recheadas, enlatados, embutidos, salgadinhos, condimentos e comidas congeladas.

  • Sim. Devem ser lidos com atenção na hora da escolha dos produtos. É importante ler o rótulo dos alimentos e não adquirir preparados que tenham gordura trans na composição (como batatas fritas, pipoca para micro-ondas, bolachas recheadas). Na leitura dos rótulos, cabe salientar que os ingredientes estão listados de acordo com sua quantidade no produto: o primeiro é o principal e o último é o que está presente em menor quantidade.

  • O pediatra ocupa espaço fundamental na construção de hábitos alimentares saudáveis, inclusive na escola. Ele poderá orientar a criança e sua família sobre a importância da qualidade da alimentação e dos hábitos alimentares para o desenvolvimento sadio durante as consultas regulares de acompanhamento da saúde, que na idade escolar devem ser anuais. Sempre que os pais, responsáveis ou mesmo alunos tiverem dúvidas sobre esse assunto, devem conversar com o pediatra. 

Nossos Endereços

SBP-Sede • R. Santa Clara, 292 - Rio de Janeiro (RJ) - CEP: 22041-012 • 21 2548-1999 

FSBP • Alameda Jaú, 1742 – sala 51 - São Paulo (SP) - CEP: 01420-002 • 11 3068-8595 / 8618 / 8901 / 8675 • Fax: 3081-6892 

SBP-RS • R. Carlos Gomes, 328/305 - Porto Alegre (RS) - CEP: 90480-000 • 51 3328-9270 / 9520 

Memorial • Rua Cosme Velho, 381 - Cosme Velho (RJ) - CEP: 22241-125 • 21 2245-3110