carregando...

Congresso Pernambucano encerra em clima de muito entusiasmo e adesão ao #Eupediatra

31/10/2016
pe1
Dr. Eduardo Jorge, presidente do Congresso e da Sopepe

 

Durante quatro dias de muita atividade, cerca de 850 pediatras de todo o País estiveram em Pernambuco para trocar experiências sobre os mais diversos temas relacionados à saúde das crianças e adolescentes. Na avaliação do 1º vice-presidente da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), dr. Clóvis Francisco Constantino, que representou a entidade nacional no evento, o IV Congresso Pernambucano de Pediatria, realizado entre os dias 26 e 29 de outubro, na cidade de Recife, foi um sucesso marcado pelo entusiasmo dos presentes. 

 “Os pediatras participaram ativamente do evento e foi algo extremamente positivo. Em nome de toda a diretoria da SBP, parabenizo o presidente do Congresso e também da Sociedade Pernambucana de Pediatria (Sopepe), dr. Eduardo Jorge Fonseca de Lima, pela organização do evento e sua realização em tempo recorde”, declarou Constantino (foto). “Nós da SBP estamos felizes com essa conquista, alcançada em menos de cinco meses após nossa posse”, declarou. 

A quarta edição do Congresso também foi celebrada pela presidente da Sociedade Brasileira de Pediatria, dra. Luciana Silva, que ressaltou a importância do Nordeste no contexto da atualização científica em pediatras. “A Sopepe assumiu com muita responsabilidade esse desafio de realizar um grande evento, que obteve muito sucesso e resultados tão agradáveis”. 

Já o presidente da Sopepe destacou que o evento pôs fim a uma lacuna de oito anos sem o encontro estadual, excedendo as melhores previsões de público. “Tivemos 850 participantes, quase 100 temas livres foram apresentados e realizamos ainda o 1º Encontro das Ligas Pernambucanas de Pediatria”, comemorou. 

Eduardo Jorge lembrou ainda que a maioria dos palestrantes eram pernambucanos, mas ressaltou a participação de colegas de todos os demais estados do Nordeste.  “Toda a diretoria da Sopepe está com a sensação de dever cumprido e o clima de encontro entre várias gerações de pediatras reflete uma renovação da especialidade no Estado”, destacou. 

#EUPEDIATRA – Outro destaque na programação do IV Congresso foi o lançamento regional da Campanha #Eupediatra – cuidando do futuro do Brasil, com a adesão maciça dos participantes na iniciativa proposta pela SBP com o intuito de promover a valorização profissional. Cada participante recebeu uma camiseta com o símbolo da campanha. Empolgados pela proposta e com a forma como vem sendo conduzida pela atual gestão da SBP, os congressistas pernambucanos vestiram a ideia. 

A entrega das camisas foi acompanhada por dois bonecos gigantes de Olinda, que também vestiram a camisa, embalados ao som de um forró pé de serra, sendo o momento de grande confraternização da pediatria pernambucana. 

PROGRAMAÇÃO – Com uma vasta programação de conferências, palestras e mesas-redondas, o evento contou ainda com oito cursos pré-congresso, que aconteceram no primeiro dia de evento. Entre eles, estavam: Reanimação Neonatal, Gastropediatria e um de Alimentação na Primeira Infância. “Através dos cursos, buscamos apresentar o que há de mais atual na medicina pediátrica”, explicou dr Eduardo Jorge. 

Entre as dezenas de palestras programadas nos três dias do evento, destaque para a que tratou do tema “OMA sem antibióticos: estamos seguros ao prescrever apenas analgésicos? ”. O tema foi abordado pelo presidente da Sopepe, que trouxe questões relacionadas à otite média aguda, um diagnóstico comum na infância, especialmente em crianças menores de três anos de idade.

Estima-se que aproximadamente de 50% a 80% das crianças experimentam pelo menos um episódio da doença nessa faixa etária. A consequência disso são as frequentes visitas ao pediatra e prescrição desnecessária de antibióticos. 

Durante o evento, o público também pode conferir a sessão de autógrafos da 2ª edição do livro Pediatria Ambulatorial do IMIP, escrito pelos médicos dr Eduardo Lima, dr Márcio Fernando de Souza e dra Rita Brito. A publicação atende as necessidades atuais do exercício da pediatria do século 21 e traz entre os temas: as doenças crônicas, que requerem uma abordagem integral e multidisciplinar; dificuldades escolares, transtornos do espectro autista, acompanhamento da criança com síndrome de Down e o atendimento da criança vítima de violência.