Associe-se

Sobape faz alerta sobre trabalho infantil no Carnaval

O trabalho infantil é a principal violação contra direitos de crianças e adolescentes no Carnaval de Salvador, como aponta a pesquisa de 2017 do Observatório de Violação dos Direitos das Crianças e dos Adolescentes. A poucos dias da folia, a Sociedade Baiana de Pediatria (Sobape) reitera repúdio à exploração de menores e reforça a importância da fiscalização efetiva e denúncia de ocorrências.

Conforme o levantamento, produzido pela Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SJDHDS) com o apoio da Plan International Brasil e do Fundo Estadual de Assistência Social, em 2017 houve crescimento de 40% no número de crianças trabalhando na festa em relação ao ano de 2016.

A maioria das crianças estava na companhia de pais e/ou responsáveis que atuavam como vendedores ambulantes nos circuitos da festa. “Acompanhando os adultos, muitos menores, inclusive recém-nascidos, chegam a dormir em barracas improvisadas nas ruas durante o período dos festejos”, ressalta a presidente da Sobape, a pediatra Dolores Fernandez.

VIOLÊNCIA SEXUAL - O levantamento mostra ainda que, além da condição degradante de crianças trabalhando nas ruas, em 2017 as ocorrências de violência sexual contra crianças e adolescentes tiveram um aumento de 140% em relação ao ano anterior. “Os dados são alarmantes e todos nós precisamos nos engajar em ações para mudar essa realidade. Temos que envolver pais, familiares, educadores, pediatras, gestores públicos e a sociedade como um todo”, defende Dolores Fernandez.

BEBIDA ALCOÓLICA – No Carnaval, continua valendo a máxima de que crianças e adolescentes não devem ingerir bebida alcoólica. O alerta da Sobape faz parte de uma campanha educativa da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), que lista os principais prejuízos do álcool para a saúde de menores, como riscos de sequelas neuroquímicas e emocionais, déficit de memória, perda de rendimento escolar, retardo no aprendizado e no desenvolvimento de habilidades.

Segundo o Estatuto da Criança e do Adolescente, quem for flagrado vendendo bebida alcoólica a menores de 18 anos sofrerá multa de até R$10 mil ou poderá ter o local de venda interditado. A legislação, contudo, não se limita aos comerciantes. Qualquer adulto, inclusive familiares ou amigos, que ofertar bebidas alcoólicas a crianças e/ou adolescentes também estará sujeito às punições.

PULSEIRA DE IDENTIFICAÇÃO – Para as crianças que vão curtir a festa nas ruas, a recomendação da Sobape é de que elas estejam sempre acompanhadas de um adulto e usem uma pulseira ou crachá de identificação com seu nome, nome dos pais e/ou responsáveis, telefone para contato e também informação sobre algum tipo de alergia ou outro problema de saúde.

“Precisamos estar atentos para garantir a integridade física e mental das crianças e adolescentes, sobretudo durante uma festa como o Carnaval de Salvador”, reitera Dolores Fernandez, lembrando que outras questões devem ser observadas. “É preciso cuidar da alimentação, evitando as doenças gastrointestinais e alergias alimentares, manter a hidratação da criança e protegê-la da exposição excessiva ao sol”, enumera. Com informações da assessoria de comunicação da Sobape.


Nossos Endereços

SBP-Sede • R. Santa Clara, 292 - Rio de Janeiro (RJ) - CEP: 22041-012 • 21 2548-1999 

FSBP • Alameda Jaú, 1742 – sala 51 - São Paulo (SP) - CEP: 01420-002 • 11 3068-8595 / 8618 / 8901 / 8675 • Fax: 3081-6892 

SBP-RS • R. Carlos Gomes, 328/305 - Porto Alegre (RS) - CEP: 90480-000 • 51 3328-9270 / 9520 

Memorial • Rua Cosme Velho, 381 - Cosme Velho (RJ) - CEP: 22241-125 • 21 2245-3110