carregando...
Academia Brasileira da Pediatria

Jayme Murahovschi (Titular)

Nasci em 7/7/1932, no Ypiranga, então bairro periférico de São Paulo; em hebraico Haim (vida), Nussin (doar) ben (=filho de) Moshe (Moises). Primogênito entre 2, filho de Moises  e Anna (Steinberg), imigrantes vindos de shteltes (vilas pobres habitadas por judeus que falavam idishe) da Bessarábia (hoje Moldavia).

Pai mascate, vida difícil, ambiente ético e afetivo, esperança que o socialismo (utópico) iria mudar este mundo para melhor. Quando criança tive diarréia prolongada, (intolerância à lactose), só resolvida pelo melhor pediatra da época, Margarido Filho. A admiração que ele sucitou me influenciou a ser médico e pediatra.

Curso primário numa escola do bairro; ginásio e colegial no Mackenzie – 2 bondes e  longo trecho a pé. O cursinho Oswaldo Cruz, de estudantes de Medicina da FMUSP, me ajudou a entrar, de imediato, na Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP, 1951), 13º lugar. Formei-me em 1956. Minha turma foi a primeira a ter  internato no 6º ano, o que junto com o 1º ano de residência pediátrica no Hospital das Clínicas da FMUSP me deram sólida formação. Desisti do R2 por falta de estrutura e porque já era hora de começar a trabalhar. Com ajuda de meus pais abri um consultório no bairro enquanto trabalhava voluntariamente naClínica Infantil do Ipiranga (CII), um dos melhores serviços de Pediatria do Brasil  e onde aprendi a fazer pesquisa e a escrever artigos científicos, orientado por Gomes de Mattos e Aparecida  Zacchi.

No serviço de emergência da CII instituimos linha de pesquisas avançadas para a época,  sobre diarréia aguda, (desidratação, etiologia, tratamento) na época principal causa de morte das crianças brasileiras. Passei então a ser convidado para palestras em todo Brasil. Na revista Pediatria Prática da CII fui redator, diretor científico e redator chefe. Fui presidente do Centro de Estudos da CII, ocupei a chefia da Pediatria e por tempo curto, o cargo de Diretor Clínico.

Atividade assistencial – Consultório particular no bairro, classe média, iniciado em 04/03/57, sucesso imediato, numa época sem convênios nem pronto-socorros. Atendia concomitantemente famílias de baixa renda no ambulatório, emergência e enfermaria na CII. A partir de 1984, também classe média alta no consultório dos Jardins e no H. 9 Julho, além de pacientes referidos por pediatras de todo Brasil, especialmente diarréia prolongada para os quais desenvolvi fórmula láctea – leite albuminoso modificado de Moll que curou centenas de casos; mais tarde casos de gastroenterologia e casos gerais de difícil manejo. Considero-me até hoje um pediatra geral que tem interesse em Gastroenterologia. Pautei minha atuação pela empatia, enfoque global, disponibilidade em tempo integral, honorários módicos e frequentemente dispensados.

Títulos pertinentes: especialista em Pediatria (APM 1963, SBP 1967),  Gastroenterologiapediátrica (AMB, 2005).

Pesquisas – linha consistente de pesquisas clínico-bacteriológicas (1962-1980), (com Prof. Luiz Trabulsi) das diarréias agudas: desidratação, etiologia (coli patogênicos, Candida, vírus) e tratamento. Rigor metodológico, bacteriologia avançada. Várias  publicadas em revistas internacionais e 3 premiadas.
A partir de 1971,  na Faculdade de Ciências Médicas de Santos, linha de pesquisa sobrealeitamento materno que culminou com a construção inédita de curvas de crescimento em lactentes em aleitamento materno exclusivo (1985).

Vida acadêmica – Embora não fosse ligado à universidade, fiz doutoramento na FMUSP – valor dos antimicrobianos na diarréia aguda, já levantando dúvida sobre sua necessidade.

Em 1974, o título de livre-docente em Pediatria Clínica, na Escola Paulista de Medicina (Unifesp) média 9,8 e menção especial na prova escrita e na didática (diarréia).

Vida universitária – em 1971 criei (a convite) o Departamento de Pediatria na Faculdade de Ciências Médicas de Santos (Fundação Lusíada) da qual fui professor titular por 35 anos. Nosso grupo, instituiu métodos avançados de ensino médico; foi pioneiro em alojamento conjunto mãe-recém-nascido, método canguru, mãe participante.  Ponto forte,  promoção doaleitamento materno; criação do Centro de Lactação de Santos (1990)  levou nosso Hospital Guilherme Alvaro a ser reconhecido Hospital Amigo da Criança (o 2º do Brasil, 1993) e centro de referência para a criação de serviços similares. Criamos a Cartilha da Amamentação (1987) e curvas de crescimento específicas para aleitamento materno exclusivo.
Atividade associativa

Na Sociedade de Pediatria de São Paulo (SPSP): sócio fundador (1971) e seu 3º presidente (1973): fortalecimento, interiorização, programa de reciclagem, os 3 primeiros comitês, oficialização da Pediatria Prática como revista científica oficial . Diretor de Cursos (1981-89) com vitorioso sistema de colóquio dirigido. Membro do Comitê de Gastroenterologia (1982-93).

Na Sociedade  Brasileira de Pediatria (SBP): presidente da Comissão Científica do Congresso Brasileiro de Pediatria (S. Paulo, 1975 e S. Paulo, 1989), membro do Comitê de Gastroenterologia (1978-80 e 82-87), de Aleitamento Materno (1990-92) e presidente do Departamento de Pediatria Ambulatorial (2000-3). Revisor do Jornal de Pediatria.

Transmissão de conhecimentos/experiência – Iniciado com palestras em todo Brasil. Destaque para meus livros que já ajudaram a formar algumas gerações de pediatras:  Emergências em Pediatria (a partir da 3ª edição), hoje (6ª edição) Pediatria: Urgências+Emergências. Em 16/06/1978, lançamento do livro que marcou uma revolução no modo de transmitir conhecimentos para uso prático: Pediatria: Diagnóstico+Tratamento, hoje na 6ª edição e com a marca registrada de etapas sequenciais de raciocínio diagnóstico e agora com um CD complementar incluindo prescrições prontas para uso.
Em 1992, periódico bimestral de reciclagem e atualização, com características próprias, oPediatra In, por assinatura, já no 13º volume.

Atividade comunitária – membro ativo da B´nai B´rith, entidade judaica de beneficência e defesa dos direitos humanos e da Associação Janusz Korczak do Brasil que defunde as idéias desse pediatra educador.

Reconhecimento da Comunidade – 
Medalha Anchieta da Câmara Municipal de São Paulo (1982); Medalha Braz Cubas da Comunidade Santista, por 35 anos de serviços prestados ao ensino e assistência médica, particularmente incluindo promoção da amamentação; (1971-2005).

Reconhecimento da Categoria médica
Premiação de pesquisas originais: etiologia/tratamento das diarréias (SBP-1962), candidíase intestinal (Margarido Filho, APM 1968), enterotoxina (1975) e curvas de crescimento em lactentes em aleitamento materno exclusivo (Congresso Brasileiro de Pediatria, Fortaleza 1985).

Prêmio de Comunicação Médica (BYK, 1988) – em votação direta em que se indagava: “qual é o médico que com suas aulas e livros mais influenciou sua formação”?
Indicação pelas regionais da SBP para ocupar uma das cadeiras da então criada Academia Brasileira de Pediatria (cadeira 8, patrono Augusto Gomes de Matos).

Em 1962, casei-me com Enny Lowenthal; 4 filhos: Denis (1963 – médico, consultor do Senado na área de Saúde); Ilana (1965, arquiteta); Ionah (1967, administração de empresas), Daphne (1969, advogada). Enny deu-me base, estrutura, segurança afetiva sem a qual eu não conseguiria fazer uso total das 1000 palavras concedidas para esta biografia.