carregando...
Academia Brasileira da Pediatria

Jefferson Pedro Piva (Titular)

Nascido em 28/12/1954 na cidade de Novo Hamburgo (RS), Jefferson Pedro Piva teve sua primeira experiência internacional ao viver em Santiago do Chile entre 1966 e 1970 quando realizou parte do curso secundário. Graduou-se Médico em 1978 na Faculdade Católica de Medicina (atual FFFCMPA), realizando a seguir a residência de Pediatria no Hospital da Criança Santo Antônio de Porto Alegre. É especialista em Pediatria (SBP e AMB) e em Medicina Intensiva Pediátrica (AMIB, AMB e SBP). Obteve titulo de Mestre em Farmacologia Clínica pela FFCMPA (1994) e o título de Doutor em Medicina: Pediatria na UFRGS (1999).

Antes de finalizar sua residência em Pediatria (1980) foi convidado para implantar e coordenar a UTI pediátrica do Hospital da Criança Santo Antônio. Chefiou esta UTI pediátrica até 1996, sendo auxiliado por uma excepcional equipe de pediatras intensivistas. Fez, inicialmente, treinamento na UTI neonatal da Policlínica de Botafogo (RJ) sob orientação de Luiz A Grajwer. Posteriormente, em 1983, fez estágio na UTI pediátrica do Hospital for Sick Children em Londres e, em 1997 na UTI pediátrica do Children’s Hospital de Washington, sob orientação de Murray Pollack e Peter Holbrook.

Em 1982, juntamente com Pedro Celiny Garcia, são convidados pela diretoria da Sociedade de Pediatria do RS, para iniciar e organizar as atividades do Comitê de Terapia Intensiva da SPRS. Em um curto período organizaram jornadas, encontros no interior, publicaram o 1º livro de cuidados intensivos e assumem a Presidência conjunta do II Congresso Brasileiro de Terapia Intensiva da SBP (Porto Alegre – 1986).

Nesta época inicia sua ativa participação associativa na SPRS nas gestões de Antônio Spolidoro, Nilo Galvão e de Pedro Celiny; vindo a assumir a presidência entre 1991 e 1993. A SPRS vivia um momento de grande crescimento onde além de concretizar a compra de uma sede própria, consolida a estruturação de seus departamentos científicos (comitês) e passaria também, a exercer uma maior influência na própria SBP. A partir deste momento, assume progressivamente sua liderança nacional, presidindo o Departamento de Cuidados Intensivos da SBP por 3 vezes, além de vários cargos na Sociedade Brasileira de Pediatria: Diretor de Cursos, Diretor de Publicações e Editor do Jornal de Pediatria entre 1994 a 2003. Como editor do Jornal de Pediatria, extruturou a editoria da revista, constituiu um núcleo editorial sólido e representativo que se mantém até hoje, introduziu profundas mudanças organizacionais, tornando o Jornal de Pediatria a principal revista pediátrica da América Latina. Em 2003, após nove anos como Editor Chefe e no momento de sua despedida do cargo de editor, teve a satisfação de obter a inclusão do Jornal de Pediatria no Index Medicus. Continuou como Editor associado, tendo participação ativa na obtenção da inclusão da revista no ISI web of knowledge que é a base de dados onde as mais importantes revistas médicas do planeta estão indexadas e onde é medido o fator de impacto de cada uma delas.

No desenvolvimento da Terapia Intensiva Pediátrica prestou relevantes contribuições. Foi o idealizador e condutor do convênio firmado em 1989 entre a SBP e a Associação de Medicina Intensiva (AMIB) para a concessão do Titulo de Especialista em Terapia Intensiva Pediátrica (TETIP) que até hoje serve de modelo dentro da AMB. Foi juntamente com Pedro Celiny Garcia, editor de 4 edições do Livro Terapia Intensiva Pediátrica. Este livro rapidamente torna-se a principal referência na especialidade, com a participação de renomados autores nacionais e internacionais, sendo comercializados mais de 10.000 exemplares entre 1985 e 1997. Em 2005, em nova editora lançam o livro Medicina Intensiva Pediátrica que em poucos meses tem sua primeira impressão esgotada. Em 2004 foi presidente do Congresso latino-americano de Cuidados Intensivos realizado em Porto Alegre com mais de 2000 participantes. Desempenhou vários cargos nas diretorias da AMIB (presidente do departamento de Pediatria, delegado internacional), tendo assumido a vice-presidência entre 2002 e 2004. Atuou decisivamente junto a AMB, CFM e Comissão Nacional de Residência Médica (CNRM) na aprovação do programa de residência com área de atuação em UTI pediátrica. Este foi o primeiro programa de área de atuação a ser aprovado pela CNRM para ser realizado em dois anos (2006).

Tem sido palestrante convidado de congressos latino-americanos, internacionais e nos congressos Mundiais de Terapia Intensiva Pediátrica. Em 1996 foi convidado a participar da organização e fundação da World Federation of Pediatric Intensive and Critical Care Societies (WFPICCS). Em 1998, juntamente com Geoffrey Barker (Canadá), Katsuto Myiasaki (Japão) tornam-se os sócios fundadores da WFPICCS, quando formalizam o seu registro em Toronto (Canadá). Foi eleito por três gestões consecutivas (1998-2000;-2003;-2007) vice-presidente daWorld Federation of Pediatric Intensive and Critical Care Societies (WFPICCS). Atualmente faz parte da diretoria da WFPICCS com mandato até 2011. Participou ativamente na organização dos 5 congressos mundiais (Baltimore, Rotherdam, Montreal, Boston e Genebra) promovidos pela WFPICCS. Em 2000 foi um dos responsáveis pela criação do Pediatric Critical Care Medicine como a revista oficial da WFPICCS. Desde sua criação tem desempenhado o cargo de Editor associado, que é renovável a cada quatro anos (próxima renovação em 2008). O Pediatric Critical Care Medicine, já obteve indexações na Medline e no ISI web of knowledge.

Ingressou como professor do departamento de pediatria da UFRGS em 1989 sendo designado a atuar no serviço de Emergência do Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA). Por cinco anos foi o chefe do Serviço de Emergência (Clínica, cirurgia, obstetrícia e pediatria), onde promoveu grandes modificações assistências e de ensino. Considera este período como um dos maiores e mais gratificantes desafios enfrentados em sua carreira profissional.

Em 1996 decide afastar-se da UTI pediátrica do Hospital da Criança Santo Antonio para assumir um novo desafio: ingressar na PUCRS onde, acumularia as funções de Professor do Departamento de Pediatria, de chefe associado da UTI pediátrica e membro da comissão coordenadora do Curso de Pós-graduação. “A PUCRS me oportunizou todas as possibilidades para me realizar como docente, como pediatra intensivista e como pesquisador. É uma relação de trabalho, de respeito, mas, também de muita amizade e cumplicidade.” Entre agosto de 1999 e março de 2000 esteve no Hospital for Sick Children de Toronto como professor visitante e onde desenvolveu pesquisas em modelos animais submetidos a ventilação de alta freqüência. Nestes anos tive a satisfação de poder contribuir para que o programa de Pós graduação em Pediatria da PUCRS se tornasse um dos melhores no país. Na ultima avaliação trienal da CAPES (2008) foi o único curso de PG em pediatria de universidade privada a obter a nota máxima.

Em março de 2004, fui empossado na cadeira número 30 da Academia Brasileira de Pediatria. ”A Pediatria Gaúcha e Brasileira me ofertaram uma deferência inimaginável e com as quais tenho uma dívida impagável e uma eterna gratidão. Pois, por mais que faça não conseguirei nunca retribuir tamanha generosidade”.