carregando...
Academia Brasileira da Pediatria

Reinaldo de Menezes Matins (Titular)

Nasceu em Mimoso do Sul (ES), em 28 de outubro de 1936, filho de Jasson Martins de Araújo e Célia Menezes Martins. Aluno do Colégio Militar do Rio de Janeiro (1948-1955), onde presidiu a sociedade dos alunos, da qual se tornou membro honorário.  Formado pela Faculdade Nacional  de Medicina da Universidade do Brasil em 1960.

Principais cargos e atividades: Freqüentou o Serviço de Pediatria da Policlínica de Botafogo a partir de 1958, sob a orientação de Álvaro Aguiar, e fez o 6º ano médico no Serviço de Pediatria do Hospital dos Servidores do Estado, então dirigido por Luiz Torres Barbosa, sendo seu Chefe de Clínica José de Magalhães Carvalho. Logo após a formatura, trabalhou em Hospitais de Pronto Socorro,  na Maternidade Fernando Magalhães, e  em   Centros  de Saúde da Prefeitura do Rio de Janeiro, de 1966 a 1976, onde chefiou Serviços de Puericultura e Pediatria. Trabalhou no Serviço de Pediatria  do Instituto de Aposentadoria e Pensão dos Bancários (IAPB), atual Hospital da Lagoa, desde 1963 até 1995.  Foi  Chefe do Serviço de Pediatria do Hospital da Lagoa (1977-1992), e Diretor do Centro de Estudos desse hospital.

Coordenou e foi secretário executivo do Grupo de Defesa da Saúde da Criança (1987-1994), organização que se empenhou em promover as ações básicas de saúde, com apoio do Unicef.

Foi chefe da Assessoria de Estudos Clínicos de Bio-Manguinhos, do Instituto Oswaldo Cruz, da qual é, atualmente, Consultor Científico. Coordenou estudos clínicos que permitiram a produção nacional da vacina recombinante contra hepatite B, produzida pelo Instituto Butantan, e a vacina tetravalente DTP/Hib, produzida por Bio-Manguinhos, em parceria com o Instituto Butantan. Esses estudos viabilizaram a obtenção de uma vacina pentavalente DTP/HB/Hib, cujo estudo clínico está em curso.

É membro do Comitê Técnico Assessor em Imunizações do Ministério da Saúde. Participou da elaboração de vários Manuais do Ministério da Saúde, como o “Manual de Normas de Vacinação”, o “Manual de Vigilância Epidemiológica de Eventos Adversos Pós-Vacinação”, o “Manual dos Centros de Referência em Imunobiológicos Especiais”, as  “Recomendações para Imunização Ativa e Passiva de Doentes com Neoplasias”, as “Recomendações para Vacinação em Pessoas Infectadas pelo HIV”.

Membro, como representante de Bio-Manguinhos/Fiocruz, do “Vaccine Pharmacovigilance Working Group”, do “Council for International Organizations of Medical Sciences”, filiado à Organização Mundial de Saúde. Esse grupo internacional estuda os eventos adversos pós-vacinais.

Na área do magistério, entre outras atuações, foi Professor Titular de Pediatria do Instituto de Pós-graduação Médica Carlos Chagas (1981).

Exerceu diversos cargos e funções na Sociedade Brasileira de Pediatria, destacando-se os de vice-presidente (1978-1979) e presidente (1980-1982), além das de integrante da comissão coordenadora dos comitês científicos da SBP (1984),  secretário geral da entidade, Presidente e membro do Comitê de Doenças Infecciosas durante vários mandatos.   Em sua gestão na presidência da Sociedade Brasileira de Pediatria,  esta recebeu nova estrutura político-administrativa, criando-se um Conselho Superior constituído por todos os Presidentes de Filiadas Estaduais, com funções deliberativas e executivas; além disso, houve unificação do sistema de cobrança, que passou a ser feita de maneira informatizada e centralizada pela SBP. Assim, como é até hoje, a SBP passou a ter uma direção colegiada. Acentuou-se a “nacionalização” dos Comitês da SBP e foram incentivados os Congressos de subespecialidades pediátricas. O processo eleitoral passou a realizar-se através de eleições com voto universal e secreto, pelo correio, em vez de eleições em assembléias. Durante seu mandato, a SBP se envolveu intensamente com as ações públicas de saúde, como as campanhas nacionais de vacinação (começando com os Dias Nacionais de Vacinação contra Poliomielite, em 1980), aleitamento materno e reidratação oral.

Editou, com Alvaro Aguiar, o livro “História da Pediatria Brasileira”, publicado em 1996, e é autor ou co-autor de numerosos trabalhos científicos e capítulos de livros, principalmente nos campos da Infectologia e Pediatria Social.

Colaborou como consultor do Memorial da Pediatria Brasileira, belíssimo Museu da Pediatria brasileira, localizado no bairro do Cosme Velho, no Rio de Janeiro.
É membro da Academia Brasileira de Pediatria desde sua fundação (1997), onde ocupa a cadeira 5, do patrono Luiz  Pedro Barbosa, tendo sido  Secretário por dois mandatos (na Presidência de Nelson Barros, 1997-2001) e depois Presidente também por dois mandatos (2002-2006). Foram seus Secretários os Acadêmicos Nelson Grisard e Dalva Sayeg. Em seu mandato como Presidente, com a colaboração e coordenação de Julio Dickstein, realizou os Fóruns “As transformações da família e da sociedade e seu impacto na infância e na juventude”, que se tornaram uma tradição da Academia Brasileira de Pediatria. Esses Fóruns multi-disciplinares  visam aproximar a Pediatria das entidades da sociedade civil que trabalham pela saúde e bem-estar das crianças e adolescentes. Foi publicado livro com as biografias dos Patronos da Academia Brasileira de Pediatria e as biografias de Carlos Arthur Moncorvo de Figueiredo (“Moncorvo Pai”), de autoria do Acadêmico  Julio Dickstein, e de Carlos Arthur Moncorvo Filho, de autoria do acadêmico Edward Tonelli. Teve início a proposta  de criar o Coral da Academia Brasileira de Pediatria, concretizada no mandato seguinte, sob a Presidência do Acadêmico Edward Tonelli, tendo como Secretário o Acadêmico José Dias Rego. A Academia Brasileira de Pediatria ganhou sede no Memorial da Pediatria Brasileira, onde atualmente funciona sua secretaria. Durante seu mandato foi ainda reformado o regulamento da ABP, tendo como objetivo principal garantir atuação harmônica  entre a SBP e a ABP.

Em 21 de novembro de 2007, por ocasião da 7ª EXPOEPI – Mostra Nacional de Experiências Bem-Sucedidas em Epidemiologia, Prevenção e Controle de Doenças, foi homenageado pela Secretaria de Vigilância em Saúde, do Ministério da Saúde, “pela relevante contribuição do seu trabalho para o desenvolvimento das ações de epidemiologia, prevenção e controle de doenças no País e para a melhoria da qualidade de vida da população brasileira”.

Por indicação de seus colegas, foi escolhido como “Profissional do Ano” de Bio-Manguinhos, Fiocruz, em dezembro de 2007.

Casado com Maria Neuza Guimarães Menezes Martins, com quem teve os filhos Marilia e Flávio.