carregando...

Antônio Simão Figueira (1957): patriarca da Pediatria pernambucana 

Antônio Simão dos Santos Figueira nasceu em 1910, em Recife (PE), e se formou pela Faculdade Nacional de Medicina do Rio de Janeiro, então Universidade do Brasil, em 1931.

Atuou no magistério, na assistência e na gestão de serviços de saúde. Foi diretor do Departamento de Assistência Hospitalar da Secretaria da Saúde e Educação de Pernambuco e do Departamento Médico do Instituto da Previdência dos Servidores do mesmo estado. Foi também secretário de Saúde e Educação do Estado e idealizou o Hospital das Clínicas.

Como professor, lecionou Puericultura e Clínica da Primeira Infância na Faculdade de Medicina de Recife, da Universidade Federal de Pernambuco. Foi um dos fundadores da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade de Pernambuco e formou gerações de pediatras neste estado. Foi também diretor da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Pernambuco e Reitor da Fundação de Ensino Superior de Pernambuco.

No associativismo médico, participou da fundação da Associação Brasileira de Escolas Médicas, do Conselho Regional de Medicina do Estado de Pernambuco e da Sociedade de Pediatria de Pernambuco. Em 1957, foi eleito presidente da Sociedade Brasileira de Pediatria, mantendo a intenção de federalizar a entidade.

Como pediatra, lutou em favor da criança excepcional. Foi fundador e presidente da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE), em Pernambuco, e participou da fundação da Federação Nacional das APAES, na qual ocupou a Presidência.

Recebeu várias honrarias, entre elas as medalhas de Mérito Médico dos Governos Federal e de Pernambuco, além do Mérito Médico da Sociedade de Medicina de Pernambuco. A Faculdade de Medicina de Pernambuco o homenageou dando seu nome ao Setor de Emergências Cardiológicas do Hospital Universitário Oswaldo Cruz.

No fim da vida, dedicou-se ao texto História da Pediatria de Pernambuco, publicado no livro organizado por Álvaro Aguiar e Reinaldo Menezes Martins. Antônio Simão Figueira foi homenageado pela Sociedade Brasileira de Pediatria, indicado como patrono da cadeira 20 de seu Conselho Acadêmico.