carregando...

Luis Eduardo Vaz Miranda (1990/91): neonatologista e gestor privado

Luis Eduardo Vaz Miranda nasceu em 1947, em Cataguases (MG). Com quatro anos de idade mudou-se para a cidade do Rio de Janeiro, onde cresceu. Formou-se no Colégio Militar e se graduou em Medicina na Universidade do Brasil, em 1972. Destacou-se como um dos melhores entre os 360 alunos de sua turma, atuando como representante junto ao corpo docente. As aulas que teve com César Pernetta, no Internato no Instituto de Pediatria e Puericultura Martagão Gesteira, determinaram sua opção por essa especialidade. Na mesma época, conheceu Nicola Albano e Pedro Solberg, que o introduziram na área de Neonatologia. Dois anos depois de formado, já fazia Residência em Pediatria no Albert Einstein College of Medicine, em Nova York, e tornou-sefellow em Neonatologia no New York Medical College.

De volta ao Brasil, em 1978, constatou que o espaço para Neonatologia no Brasil era limitado. Comparada aos EUA, a Neonatologia brasileira dispunha de poucos recursos materiais e dependia de boa aparelhagem e de equipe qualificada. A convite de Pedro Solberg, foi para a Clínica São Vicente, no Rio de Janeiro, e organizou com Nicola Albano uma das primeiras UTIs Neonatais do Brasil, chegando a ser diretor médico do setor. Em 1982, os dois médicos criaram o Centro de Prematuros do Estado do Rio de Janeiro (Ceperj) instalado numa casa em Botafogo. Nos dez primeiros anos de atividade, o centro recebia bebês nascidos em todas as maternidades da cidade e de outros estados.

Paralelamente a essas atividades, Vaz de Miranda lecionava Pediatria na Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio de Janeiro (1980/92) e militava na Sociedade Brasileira de Pediatria, onde se destacou como um dos mais importantes líderes dessa associação profissional, no período de 1978 a 1991.

Em 1978, quando Vaz de Miranda voltou dos Estados Unidos, Nicola Albano era o presidente da SBP e o indicou para integrar o Comitê Científico de Neonatologia da entidade. Com isso, começou a participar de vários congressos e conferências em todo o País. Em 1986, na gestão de Navantino Alves Filho na Presidência da SBP, foi indicado coordenador da Comissão Organizadora do exame para obtenção do Título de Especialista em Pediatria (TEP). Promoveu uma verdadeira renovação no grupo de avaliadores, convidando novos profissionais para a comissão. Reconquistou, assim, o prestígio que o exame perdia junto aos médicos e obteve grande sucesso no primeiro exame após a mudança.

Como consequência dessa renovação, Antonio Marcio Junqueira Lisboa o convidou para a Vice-Presidência da SBP em 1988. Vaz de Miranda acumulou, então, a função de coordenador da Comissão de Elaboração do TEP e do Comitê de Perinatologia, além de ministrar mais aulas e conferências em todo o País. No mandato seguinte (1990/91), seu nome foi indicado para a Presidência da sociedade, sem qualquer oposição, mas seu mandato coincidiu com a eleição do presidente Collor e o confisco das poupanças, o que limitou enormemente suas ações.

No fim de seu mandato na SBP (no começo dos anos 90), foi convidado a integrar a equipe da Casa de Saúde São José, no Rio de Janeiro, onde criou, em 1993, um Centro de Tratamento Intensivo (CTI) Neonatal. Nessa época, ainda usava os serviços do Ceperj, mas logo depois o centro passou a funcionar exclusivamente na casa de saúde.