carregando...

Sérgio Cabral (1996/1997): clínico geral, formador de pediatras

Sérgio Augusto Cabral nasceu no Rio de Janeiro, em 1952. Seu pai era Clínico Geral e, certamente, essa referência foi decisiva em sua decisão precoce pela Medicina. Ingressou na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) em 1971 e optou por Pediatria já no ano do Internato. Os cursos da Sociedade Brasileira de Pediatria e os estágios no Hospital Miguel Couto e no Ambulatório de Pediatria da Praia do Pinto despertaram seu interesse pela criança. Com o tempo, passou a se dividir entre a Clínica Geral Pediátrica e a formação profissional.

Quando se formou, em 1976, fez concurso para a Residência no Serviço de Pediatria do Hospital dos Servidores do Estado (HSE), dirigido por Luís Torres Barbosa, que trabalhava mais na área da gestão de serviço e menos na área clínica pediátrica. No fim da Residência, Sergio Cabral obteve o Título de Especialista em Pediatria, concedido pela SBP, e ingressou no mestrado em Pediatria da UFRJ. Após concluir o mestrado, foi professor assistente do Departamento de Pediatria da Escola Médica do Rio de Janeiro da Universidade Gama Filho e médico plantonista do Serviço de Urgência Pediátrica (URPE) da Policlínica de Botafogo. Nos quinze anos em que trabalhou na Policlínica foi primeiro secretário do Centro de Estudos e depois coordenador do Centro de Tratamento Intensivo Pediátrico.

Em 1982, passou no concurso do Inamps e começou a trabalhar no Berçário de Alto Risco da Unidade Materno-Infantil do HSE e passou a dar palestras em diferentes eventos. No mesmo ano, foi trabalhar como auxiliar de ensino a convite de Azor de Lima e depois como professor assistente na Pediatria da Faculdade de Medicina da UNI-Rio, lotado no Hospital de Clínicas Gaffrée e Guinle. Ao longo do tempo, desempenhou várias atividades na universidade: foi chefe de clínica, membro da Comissão de Suporte Nutricional Parenteral e Enteral, e coordenador do Internato, da Residência e do Curso de Especialização na instituição. Em 1992, parou de lecionar e, em 2001, transferiu-se para o Curso de Medicina da Universidade Estácio de Sá, onde atuou como professor adjunto de Pediatria e depois coordenador acadêmico.

A ligação de Sergio Cabral ao associativismo médico começou ainda no Internato, quando frequentou os cursos promovidos pela SBP. O trabalho no HSE, na UNI-Rio e no consultório não o impediram de se dedicar à Sociedade de Pediatria do Estado do Rio de Janeiro (Soperj). Em 1984, foi primeiro secretário, dois anos depois, vice-presidente e, em 1988, presidente. Sua participação na Soperj o habilitou para ingressar na direção da SBP. Em 1990, foi segundo secretário do presidente Luis Eduardo Vaz Miranda e, depois, secretário geral, entre os anos 1992 a 1995 – nos mandatos de Pedro Celeny e de Mario Santoro. O fato de ser secretário geral e morar no Rio de Janeiro ampliou significativamente sua atuação na SBP até 1996, quando foi eleito presidente da entidade.

Em sua gestão, Sérgio Cabral acompanhou a preocupação anterior da SBP de nacionalizar a instituição e, dessa forma, ele consolidou seu objetivo alocando tarefas e poder da SBP fora do Rio de Janeiro. A regional do Rio Grande do Sul ficou responsável pelo Jornal de Pediatria e a de São Paulo responsabilizou-se pela organização do Programa de Educação Continuada.