carregando...

receite_livro3

Fenômeno de vendas nos últimos meses, os livros de colorir revolucionaram o mercado editorial brasileiro. São diversas opções disponíveis para pintar e estimular a imaginação.

Destinados para colorir e até mesmo como ferramenta antiestresse, os livros para pintar podem ganhar outra finalidade. “Dependendo do livro de colorir, é possível imaginar enredos, criar histórias. Os desenhos – e as situações de colori-los – podem também instigar conversas e outras trocas orais que não apenas a ‘contação’ de histórias”, afirma Liane Araujo, professora da Faculdade de Educação da Universidade Federal da Bahia, ressaltando, no entanto, que os livros de colorir são, antes de tudo, para colorir.

Pensando em situações de invenção de enredos, o ideal nesse sentido, segundo a educadora, são os livros que trazem desenhos espalhados pela página, sem nenhuma indicação prévia do que se passa na cena, como os livros que enchem a página de pequenos desenhos temáticos. Assim, um enredo poderá nascer da criatividade e imaginação dos participantes dessa interação.

Os livros de colorir despertam essa criatividade nos mais novos e os pais ou profissionais podem ajudar incentivando-os. “Eles podem pedir para as crianças falarem de sua produção, de como estão colorindo, o que estão achando da parte já pintada, qual a sensação de colorir”, explica Liane. Mas a professora ressalta: “A qualidade da narrativa vai depender muito das possibilidades inventivas de quem brinca de fazer enredo a partir de figuras”.

Essa é uma campanha da Sociedade Brasileira de Pediatria, Fundação Maria Cecília Souto Vidigal e Fundação Itaú Social.