carregando...

header

O presidente do Departamento de Pediatria do Desenvolvimento e Comportamento da SBP vê o momento de leitura como uma oportunidade que deve ser bem aproveitada pelos pais e cuidadores.

Nessa entrevista, ele fala sobre as evidências científicas da importância da leitura para crianças pequenas e diz quais são as principais orientações que os pediatras devem dar às famílias e aos cuidadores ao “receitar” um livro.

Uma pesquisa publicada recentemente na Pediatrics quantificou pela primeira vez os efeitos da leitura sobre o cérebro. Há, hoje, maior embasamento teórico para se “receitar” a leitura?
Na verdade, sempre houve embasamento teórico para considerar a leitura um fator de proteção para os atrasos de desenvolvimento. Quando consultamos a literatura, encontramos centenas de publicações de boa qualidade, inclusive em amostras brasileiras, que colocam a presença de livros em casa e a leitura como fator protetor.

Quais são, em sua opinião, as principais orientações que os pediatras devem dar aos pais ao “receitar” um livro?
O momento da leitura é um momento de conexão máxima entre a criança e o cuidador e deve ser aproveitado como uma oportunidade e com interesse pelos pais. Contar uma história por obrigação sem querer fazer aquilo é percebido pela criança, e a tendência é de que aquele momento de prazer se transforme em uma situação desagradável. A escolha do livro também deve estar de acordo com a faixa etária e os interesses da criança. É interessante que as histórias contadas para os pequenos sejam ilustradas e possam ser terminadas no mesmo dia. É difícil para eles entenderem que existem capítulos e que a história terá uma continuidade. As histórias mais longas (em capítulos) podem ser mais bem aproveitadas pelas crianças mais velhas, que vão esperar com expectativa o momento de se sentarem com os pais para continuar o “projeto” de leitura de determinado livro.

O livro The Rabbit Who Wants to Fall Asleep, elaborado por um psicólogo e linguista suíço, que promete fazer as crianças dormirem em questão de minutos, é hoje um dos campeões de venda da Amazon.com nos Estados Unidos e na Inglaterra. O livro ainda não foi traduzido para o português, mas em diversos blogs de mães uma dúvida tem sido constante: há mesmo um tipo de livro ou jeito de ler uma história que seja mesmo capaz de induzir o sono nos bebês? Há vantagem na escolha da hora de dormir para se ler para uma criança pequena?
Em um ambiente propício, com linguagem e tom de voz adequados e na hora certa, qualquer história pode fazer a criança dormir. A escolha da hora de dormir é sempre importante, pois há um ciclo do sono que deve ser respeitado. À noite, a produção da melatonina (hormônio do sono) é maior e também há um maior relaxamento da criança, o que é propício. A leitura proporciona para a criança um adormecimento tranquilo (sem TV, tablet, celular ou computador), com a presença dos pais ao lado, num momento em que ela tem que se desligar do dia e entrar no mundo dos sonhos e fantasias.