carregando...

Congresso Internacional de Nefrologia Pediátrica reúne congressistas de vários países, em Foz do Iguaçu

SBP em Ação 05/10/2016
dr_julio_toporovski
Dr. Julio Toporovski homenageado no evento / Foto: Sociedade de Pediatria de São Paulo

A primeira reunião dos membros do Departamento Científico de Nefrologia da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) em conjunto com o Departamento Científico da Sociedade Brasileira de Nefrologia aconteceu durante o 17º Congresso Internacional de Nefrologia Pediátrica, que esse ano teve a sua edição no Brasil, na cidade de Foz do Iguaçu, no Paraná. Juntos, os especialistas traçaram as estratégias de educação continuada, discutiram os próximos eventos brasileiros e latino-americanos e abordaram as atualizações de conteúdos da especialidade.

 A dra. Nilzete Liberato Bresolin, presidente do DC da SBP, representou a presidente da entidade, dra. Luciana Silva, em um dos mais importantes congressos mundiais da especialidade. Realizado a cada três anos, o Congresso Internacional, que este ano ocorreu entre os dias 19 e 24 de setembro, contou com o apoio da Sociedade de Pediatria.

HOMENAGEM - Um dos pontos altos do evento foi a homenagem ao dr. Julio Toporovski, nefrologista pediátrico da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, pelos serviços prestados à nefrologia pediátrica brasileira e internacional. “Foi um momento muito especial e emocionante, pois é a primeira vez que um brasileiro é homenageado nesse evento internacional”, ressalta a dra. Nilzete Bresolin.

Ao longo dos seis dias de encontro, cerca de 1.200 congressistas de vários países discutiram os mais recentes temas da área. Essa edição houve ainda o Curso de Nefro-intensivismo, ministrado por especialistas de renome mundial em Terapia Intensiva Pediátrica. “A nefrologia pediátrica brasileira tem estado presente em todas as edições do Congresso Internacional, com médicos participando das discussões e atualizações a fim de oferecer aos seus pacientes uma avaliação e conduta pautadas nas mais recentes evidências científicas”, comentou a presidente do DC de Nefrologia.

TEMAS DIVERSOS - A programação científica trouxe temas diversos, como os cuidados com o diagnóstico e tratamento da hipertensão arterial, das disfunções miccionais, das doenças glomerulares e suas diversas apresentações clínicas e envolvimento genético; e os distúrbios metabólicos associados ao desenvolvimento de cálculos renais em crianças de todas as idades. 

De acordo com a dra Nilzete, “no campo das disfunções renais agudas foram apresentados os novos critérios diagnósticos e os novos biomarcadores que possibilitarão diagnóstico precoce e desta forma, melhor prognóstico para os nossos pacientes. Os avanços nos métodos de terapia de substituição renal e nos transplantes renais também foram amplamente discutidos. 

As doenças nefrológicas são muito comuns na infância e podem ser congênitas, hereditárias ou adquiridas. Muitas vezes se apresentam desde o período natal, por alterações na ultrassonografia, e, neste caso, devem sempre ser investigadas assim que a criança nascer. Em outras situações são silenciosas e somente diagnosticadas se o pediatra estiver atento aos sinais e sintomas muito inespecíficos. “É preciso estar atento ao desenvolvimento pondero-estatural inadequado, anemia, alteração nos níveis de pressão arterial, alteração no jato urinário das crianças do sexo masculino, distúrbio miccionais, dor abdominal, alteração da cor da urina, edema, dentre outros”, enumera a dra. Nilzete.