carregando...

SBP vai desenvolver esforços para estimular a atividade física entre crianças e pediatras

SBP em Ação 06/04/2017
A conferência “Promoção da Atividade Física na Infância e Adolescência” foi ministrada por dos maiores especialistas mundiais no assunto, o professor Jorge Mota, doutor em Ciências do Esporte pela Universidade do Porto, em Portugal. Foto: Sobape

A Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) voltará sua atenção também para o estímulo à prática de atividades físicas entre crianças e adolescentes. O anúncio dessa nova abordagem foi feita após evento realizado, em parceria com a Sociedade Baiana de Pediatria (Sobape), na véspera do Dia Mundial dedicado ao tema e comemorado na quinta-feira (6).

A partir de agora, um grupo de trabalho da SBP, coordenado pelo dr. Ricardo do Rêgo Barros, discutirá propostas que abordarão a temática e terão como foco pediatras, professores, pais e profissionais que cuidam de crianças e adolescentes. O alvo é a conscientização sobre a importância do esporte para essa faixa etária, mostrando como a atividade física é uma grande alternativa ao uso excessivo de telas de tablets, computadores e smarthphones.

PALESTRA - Como marco inicial dessa nova frente de ação houve, na quarta-feira (5), em Salvador (BA), conferência ministrada pelo professor Jorge Mota, doutor em Ciências do Esporte pela Universidade do Porto, em Portugal, apontado como um dos maiores especialistas mundiais no assunto. Dentre os temas, estava à definição da idade recomendada para o início da física adequada, dentre outras questões, que têm impacto no crescimento pleno e saudável de crianças e de adolescentes.

Entusiasta da iniciativa, a presidente da SBP, dra Luciana Rodrigues Silva, confia na repercussão positiva do trabalho a ser conduzida pelo grupo de trabalho recém-criado. Ela acredita que os especialistas poderão oferecer contribuições relevantes para o processo de educação continuada dos pediatras e subsídios à formulação de políticas públicas de saúde.

BENEFÍCIOS - Um dos objetivos do Dia Mundial da Atividade Física é estimular as pessoas a realizar ao menos 60 minutos de exercícios por dia, cinco vezes por semana. Correr, caminhar, pedalar, nadar e dançar são alguns dos exercícios físicos mais comuns. Contudo, atividades cotidianas como subir escadas, descer do ônibus um pouco antes, passear com animais de estimação, cuidar do jardim e lavar o carro, por exemplo, também se caracterizam como atividades físicas e promovem benefícios, quando adotadas frequentemente.

Segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), a inatividade física é o quarto principal fator de risco de morte no mundo e aproximadamente 5 milhões de pessoas morrem a cada ano em decorrência deste sedentarismo.

RISCO – Trata-se de um fator de risco chave para doenças crônicas não transmissíveis (DCNTs), sendo que pessoas sedentárias têm entre 20% e 30% de aumento do risco de mortalidade, em especial por doenças como as cardiovasculares, câncer e diabetes. No mundo, um em cada três adultos não pratica atividade física suficiente.

No Brasil, o Ministério da Saúde (MS), aponta Porto Alegre como a capital brasileira com maior número de adultos (maiores de 18 anos) com sobrepeso: 55%. Em 2012, o periódico The Lancet, divulgou estudo que aponta o Brasil como um país onde 49% da população está inativa, ou seja, realiza menos de 150 minutos de atividade de intensidade moderada por semana.