carregando...

Ações para qualificação profissional

A Sociedade Brasileira de Pediatria está sempre empenhada em promover ações que contribuam para o aperfeiçoamento dos profissionais médicos da nossa especialidade.

Novo Currículo/GPEC/Programa de Residência em Pediatria de 3 anos

A SBP participa do Consórcio Global de Educação Pediátrica (GPEC, a sigla em inglês) – aliança formada por 20 instituições nacionais e regionais que representam mais de 50 países, como China, Japão, Estados Unidos, Alemanha, além do Brasil.

O maior desafio do GPEC é estabelecer padrões rigorosos de treinamento e capacitação prática em pediatria. Para tanto, busca, também, criar mecanismos para avaliar a eficácia de tais padrões, a fim de garantir qualidade de treinamento e, consequentemente, dos cuidados prestados à população. Os integrantes do consórcio trabalham juntos para nivelar seus recursos organizacionais e experiências, comprometidos com o aumento da quantidade e qualidade de pediatras, competentemente treinados na especialidade e em suas distintas áreas de atuação. A missão global inclui iniciativas sólidas de educação pediátrica para os países interessados, especialmente os em desenvolvimento.

O GPEC elaborou um currículo básico para a pediatria mundial e a SBP fez a adaptação/tradução para o português(veja no site do GPEC no link aqui indicado).

Cone Sul

As Sociedades de Pediatria do Cone Sul decidiram implantar o currículo unificado e têm trabalhado para isso. Abaixo, os dirigentes na reunião realizada em San Pedro de Timote, Florida, no Uruguai e, abril de 2013 e em outubro, durante o 36º Congresso Brasileiro de Pediatria, em Curitiba (PR), onde representantes da Argentina, Chile, Uruguai, Paraguai, Bolívia e Brasil aprovaram o estatuto e definiram os nomes no Núcleo Executivo do Fórum das Sociedades do Cone Sul.São eles: Ángela Gentile (presidente), Dioclécio Campos Jr. (secretário-executivo), Margarita Ramonet (secretária-adjunta) e Gustavo Cardigni (tesoureiro). A sede do Fórum será sempre onde está a/o presidente.

Em março de 2015, em Santa Cruz de La Sierra, na Bolívia, o Fospecs aprovou a a carta “O direito ao atendimento pediátrico na atenção primária – Declaração do FOSPECS em Santa Cruz de La Sierra” 

Novo currículo

No Brasil, por proposta da SBP, a Comissão Nacional de Residência Médica (CNRM) aprovou, em julho de 2013, a ampliação do conteúdo da formação em pediatria. A residência em pediatria passa a ter três anos. Cinco serviços já começam em 2014 o novo programa:

  • USP (Universidade de São Paulo/ SP);
  • UnB (Universidade de Brasília/ DF);
  • Hospital Pequeno Príncipe (Curitiba, PR);
  • Hospital dos Servidores (Rio de Janeiro/RJ);
  • Instituto de Medicina Integral Professor Fernando Figueira (IMIP/Recife/PE).

Em agosto de 2014, plenária da CNRM autorizou a implantação do programa de três anos em mais seis serviços:

  • Universidade Federal de Minas Gerais (MG);
  • Hospital Infantil Albert Sabin (CE);
  • Hospital Universitário da Universidade Federal de Santa Catarina (SC);
  • Hospital Infantil Joana de Gusmão (SC);
  • Faculdade de Medicina de Botucatu (UNESP);
  • Universidade Federal do Rio Grande do Sul (RS).

A Plenária da CNRM de 30 de julho aprovou a entrada de mais 23 Serviços na Residência de 3 anos, com a lógica do Currículo do GPEC.   

  • Hospital Universitário da Universidade Federal de Sergipe (HU/UFS);
  • Hospital Universitário da Universidade Federal da Paraíba (HU/UFPB);
  • Hospital Maria Lucinda (Recife/PE);
  • Universidade Federal de Goiás (UFG);
  • Universidade de Campinas (Unicamp);
  • Hospital Materno Infantil de Goiânia (HMI/SES);
  • Hospital do Oeste (Bahia/BA);
  • Hospital Infantil Varela Santiago (Natal/RN);
  • Hospital Regional de Cáceres (Mato Grosso/MT);
  • Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto (São Paulo/SP);
  • Hospital Geral de Nova Iguaçu (Rio de Janeiro/RJ);
  • Hospital Federal Cardoso Fontes (Rio de Janeiro/RJ);
  • Hospital Universitário Antônio Pedro (Niterói/RJ);
  • Prontobaby – Hospital da Criança (Rio de Janeiro/RJ);
  • Instituto Fernandes Figueira/Fiocruz (Rio de Janeiro/RJ);
  • Instituto de Puericultura e Pediatria Martagão Gesteira/UFRJ (Rio de Janeiro/RJ);
  • Hospital Escola Luiz Gioseffi Januzzi (Valença/RJ);
  • Hospital Federal da Piedade (Rio de Janeiro/RJ);
  • Hospital Universitário Pedro Ernesto/UERJ (Rio de Janeiro/RJ);
  • Faculdade de Ciências Médicas e da Saúde Pontifícia Universidade Católica de São Paulo/PUC (São Paulo/SP);
  • Faculdade de Medicina do ABC (São Paulo/SP);
  • Hospital Universitário Gaffrée e Guinle (Rio de Janeiro/RJ);
  • Hospital Israelita Albert Einstein (São Paulo/SP);

Como é a nova formação

O modelo do currículo global – que passa a ser referência no Brasil – estabelece detalhadamente as aptidões e comportamento necessários ao pediatra do século XXI, capacidades, habilidades, conhecimentos essenciais em cada item.

  • Define os objetivos de cada ano e as condições necessárias para alcançá-los.
  • No novo currículo, a saúde mental passa a ser conteúdo explícito e obrigatório,
  • A adolescência tem sua carga horária muito ampliada,
  • As doenças crônicas são incluídas também obrigatoriamente.
  • Treinamentos como em neonatologia também ganham mais tempo.
  • A puericultura é aprofundada, com ênfase na influência do meio ambiente no crescimento e no desenvolvimento com vistas à saúde do adulto.
  • A formulação abrange a atenção primária, secundária e terciária à saúde da criança e do adolescente.

Avaliação e título

No novo programa, a avaliação será feita anualmente e, dependendo da média que tiver, o residente, ao final, já recebe também o Título de Especialista em Pediatria (TEP). Acompanhe as notícias sobre o assunto pelo portal da SBP!