carregando...

Juliana Paes, SBP e Ministério abrem SMAM no Rio de Janeiro

Arquivo 01/08/2011

A 20ª Semana Mundial da Amamentação (SMAM) foi aberta hoje, no Rio de Janeiro, pelo presidente da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), dr. Eduardo Vaz  e pelo ministro da Saúde,  dr. Alexandre Padilha, com a presença da homenageada, a atriz Juliana Paes, madrinha da campanha desse ano, da qual participa com seu filho: “Pedro vai fazer 8 meses e mama no peito. Eu queria muito amamentar. Via algumas amigas com o mesmo grau de instrução e com dificuldades, com problemas para sair do trabalho. Me preparei para o aleitamento materno. Aprendi que é importante uma pegaque facilite. Quis ajudar e me ofereci para esta campanha. Acho importante tocar as pessoas, levar esta mensagem.  Ficarei feliz se outras mulheres, quem sabe lá do interior de Rondônia, olhando essas imagens pensem: ‘Se ela pode, eu também posso, vou conseguir”, disse, agradecendo “pela oportunidade” e se despedindo com um “até a próxima”. Também participaram do evento a representante do Unicef no Brasil, sra. Marie-Pierre Poirier, e os secretários de Saúde do estado, dr. Sergio Cortes, e do município, dr. Hans Dohmann,  representando o governador e o prefeito, muitas mães com seus bebês e diversas instituições. A SMAM é uma iniciativa da Aliança Mundial para Ação em Aleitamento Materno (Waba) e ocorre em cerca de 150 países.

“A amamentação não faz bem apenas até os cinco anos da criança, tem repercussões por toda a vida”, salientou o dr. Eduardo Vaz, em nome também do presidente da Sociedade de Pediatria do Estado do Rio de Janeiro (Soperj), dr. Edson Liberal, ali presente, juntamente com outros diretores e integrantes dos Departamentos da SBP, da filiada, e dos drs. Júlio Dickstein e José Dias Rego, da Academia Brasileira de Pediatria. Dr. Eduardo aproveitou o momento para frisar também a importância da licença-maternidade de seis meses, que tanto proporciona o melhor alimento para o bebê, quanto a formação do vínculo afetivo com a mãe e a família, podendo inclusive “contribuir para a prevenção da violência. Isso sem falar na proteção contra doenças crônicas não-transmissíveis, hoje uma grande preocupação na vida adulta”. Por isso, disse,  “a SBP e a então senadora Patrícia Saboya idealizaram a lei que amplia a licença-maternidade – hoje uma realidade para trabalhadoras de mais de 10.500 empresas, e para funcionárias de quase todas as unidades da federação, de mais de 150 municípios e da administração federal. No entanto, muitas ainda não usufruem desse direito. Atuo na baixada fluminense, onde tenho consultório, e vejo o sofrimento daquelas que precisam voltar ao trabalho e ainda têm bebês pequenos. Nós, pediatras, temos trabalhado muito para mudar esta realidade. Precisamos todos nos unir, Governo e sociedade civil, para garantir que esse direito chegue a todas as mães e crianças. Sabemos que é na infância que tem início a saúde e é também onde se forma o cidadão”.

Lembrando os baixos índices de amamentação registrados na década de 1970 e as conquistas já obtidas, o ministro Alexandre Padilha afirmou que é preciso fazer mais. A OMS considera ideal que 90 a 100% das crianças menores de seis meses recebam aleitamento materno exclusivo e o Brasil atingiu a marca de 41%. Por isso, “o governo está investindo nove bilhões de reais na Rede Cegonha”, informou, acrescentando que, entre outras iniciativas, o cartão do SUS passará a registrar o telefone das gestantes, de maneira que depois haja também uma “ouvidoria ativa”, com o Ministério da Saúde contatando as mães, para que avaliem o atendimento que receberam.  Afirmando que é preciso melhorar também a formação que atualmente recebem os médicos e reforçando a importância da parceria com a SBP e com o Unicef, disse ser fundamental que as gestantes e mães recebam os melhores cuidados. “Todos nós precisamos fazer como Juliana Paes. Vamos apoiar, cada vez mais, a amamentação”, convidou.

O evento foi aberto pelas crianças do Coral da Pediatria Brasileira, sob regência da maestrina Alice Ramos Sena, contou com o lançamento do Guia dos Direitos da Gestante e do Bebê, publicação do Ministério da Saúde e do Unicef, e do projeto Tel@ rBLH (Telessaúde), que visa ampliar o intercâmbio do conhecimento e a transferência de tecnologia no âmbito de atuação da rede de bancos de leite humano. Foi transmitido, pela internet, para todos os estados brasileiros e para os 23 países com os quais o Brasil mantém cooperação técnica. Acesse o www.sbp.com.br , veja as peças da campanha, saiba mais e participe!

 

 

 


Coral da Pediatria Brasileira

 

Veja aqui também o filme, o spot e demais peças da campanha publicitária.

Saiba mais, acessando o portal da SBP em “Campanhas/Semana Mundial da Amamentação 2011