carregando...

Mais saúde, direitos e boas parcerias

Arquivo 15/08/2012

                  69º Curso Nestlé de Atualização em Pediatria tem participação recorde

 

Da esq. para a dir., os drs. Fernando Nóbrega, Serena Aboutboul, José Antonio Daltoé Cézar, Eduardo Vaz, Ivan Zurita, Juan Carlos Marroquin, Júlio Bueno, Edson Liberal e Nicole Gianini

Com o recorde de 7.500 inscritos, a 69ª edição do Curso Nestlé de Atualização em Pediatria teve início nesta terça, no Rio de Janeiro, em clima de confraternização e também de crítica: “Em nome dos pediatras, sugiro que o esforço desenvolvido por seu governo no combate à criminalidade seja também direcionado à saúde. Não me refiro apenas às UPAS. O atendimento de emergência é, certamente, fundamental. Mas é preciso também evitá-lo”, disse, sob aplausos, o presidente da SBP, Eduardo Vaz, dirigindo-se ao Secretário estadual Júlio Bueno, de Desenvolvimento Econômico, Energia, Indústria e Serviços. “É na infância e na adolescência que se pode garantir o pleno desenvolvimento físico, mental e social dos cidadãos, é nessa fase que se previne a maioria das doenças crônicas não-transmissíveis. Está provado que não há melhor investimento, que traz maior retorno a uma sociedade, do que aquele que é feito na educação e na saúde na primeira infância. Basta ver os estudos realizados por James Heckman, prêmio Nobel de Economia”, salientou.

Para o presidente da Sociedade de Pediatria do Estado do Rio de Janeiro (Soperj), Edson Liberal, os avanços registrados na economia do País não ocorreram na mesma proporção na saúde, nem na educação da criança e do adolescente. “É inaceitável que seja tão moroso e, por vezes, impossível, marcar consultas com pediatras na atenção básica nas redes públicas”, bem como que “crianças morram por falta de vagas na terapia intensiva”. Reforçando a importância do “trabalho interdisciplinar, do respeito aos múltiplos saberes”, afirmou também: “tenho certeza que os olhares de diversos profissionais são imprescindíveis para melhorar a assistência à criança e ao adolescente. O que não pode ser admitida é a tentativa de substituir o pediatra por outro profissional!”.

Parceria com magistrados – Durante a solenidade,  dr. Eduardo Vaz e o desembargador José Antonio Daltoé Cézar assinaram termo de cooperação (foto) entre a SBP e a Associação Brasileira dos Magistrados da Infância e da Juventude (ABRAMInJ), com objetivo de estreitar relações institucionais, para a “garantia plena dos direitos das crianças e dos adolescentes no País”.

Pioneirismo na Licença-maternidade – A satisfação pelo trabalho realizado em conjunto com os pediatras foi salientada pelo atual presidente do Conselho Consultivo da Nestlé Brasil, Ivan Zurita. Despedindo-se da função de operação – com a presidência executiva da empresa agora exercida por Juan Carlos Marroquin –, destacou, dentre as marcas de sua gestão, a concessão da licença-maternidade de seis meses que, sugerida pela SBP, foi adotada desde 2007 e antes mesmo da Lei 11.770 e de qualquer incentivo fiscal. “Mostra nossa preocupação com as crianças e a população”, frisou. Por sua vez, o novo presidente da Nestlé Brasil se definiu como um “apoiador da pediatria”, em 28 anos de trabalho e nove países, adiantando sua intenção de “dar continuidade à grande parceria”.

Participaram também da mesa de abertura os drs. Fernando Nóbrega, presidente da Academia Brasileira de Pediatria (ABP); José Ramon Varela Blanco, presidente da Associação Médica do Estado do Rio de Janeiro (Somerj); Nicole Gianini, assessora de Neonatologia da Secretaria Municipal de Saúde e representando o Secretário Hans Dohmann; e a diretorde Nestlé Nutrition, Serena Aboutboul.

O cérebro e a adolescência – Coordenada pelo dr. Nóbrega, a conferência de abertura foi realizada pela neurocientista Suzana Herculano-Houzel, da UFRJ. Discorrendo sobre as mais recentes pesquisas da área, a professora mostrou como a fase se inicia pelo cérebro (e não pelos hormônios, como se costuma dizer), com as transformações do hipotálamo. Sobre as sinapses, assinalou que algumas conexões se fortalecem, enquanto outras, “ineficazes”, se enfraquecem. “O aprendizado é um processo de lapidação, refinamento”, definiu. Lembrando também as características de reorganização do corpo, e aquisição de novas habilidades, como o controle de impulsos, da imitação, a capacidade de arrependimento e de antecipação dessa, registrou que cada etapa vem a seu tempo, até que o indivíduo se torne adulto. “A Adolescência é necessária, natural e saudável. Coisa do cérebro”, resumiu. O Curso de Atualização em Pediatria ocorre até sexta-feira, com diversas mesas-redondas, de 8h às 18h30, no Riocentro.