carregando...

Muito sucesso no XX Congresso Brasileiro de Perinatologia

Arquivo 24/11/2010

Drs. Eduardo Vaz e José Roberto Ramos

 Recorde de público na série histórica dos Congressos Brasileiros de Perinatologia, os 2.500 presentes à 20ª edição também puderam tomar conhecimento de 756 trabalhos inscritos, um número “muito expressivo”, segundo avaliação do presidente do evento, dr. José Roberto Ramos, do dr. Eduardo Vaz e do dr. Edson Liberal, presidente da Sociedade de Pediatria do Rio de Janeiro (Soperj). Entre os destaques, foi consenso o “alto nível” da programação, variada, e a organização que permitiu aos participantes escolher entre seus maiores interesses. O evento termina hoje, no Rio de Janeiro, superando todas as expectativas na voz corrente dos congressistas.

Na abertura, da esq. para a dir., Drs. Elsa Giugliani, do Ministério da Saúde, Renato Procianoy, Luiz Anderson, Eduardo Vaz, José Roberto e Edson Liberal.

 

Entre os importantes saldos, está a realização do primeiro Curso de Transporte Neonatal, preparado pelo Departamento de Neonatologia da SBP, desde a gestão do dr. Paulo Nader e agora tendo à frente o dr. Renato Procianoy e o sucesso do Fórum Perinatal para Maternidades do SUS, realizado com o Ministério da Saúde: “o projeto, que visa a redução da mortalidade infantil no Nordeste e na Amazônia Legal, contou com treinamento de pediatra e enfermeiro de cada uma das cerca de 40 maternidades das duas regiões, que se deslocaram até alguns centros de referência, o Instituto Fernandes Figueira (RJ), o IMIP (PE) e o Hospital da Universidade de Ribeirão Preto (SP). Depois, profissionais destas instituições foram até as que se objetiva ajudar. Isso ocorreu durante todo o ano e agora, pudemos reunir os cerca de 70 profissionais das 40 maternidades do Nordeste e Amazônia Legal, discutir as diretrizes clínicas,  tentando homogeneizar a assistência. Foi muito bom!”, salienta o dr. José Roberto.

Outra iniciativa bem sucedida foi o Clube do Pulmão, no qual as dras. Cleide Trindade e Lígia Rugulo apresentaram a pediatra paulista Cleide Suguihara, há mais de 25 anos na Universidade de Miami, nos Estados Unidos. O tema foi a pesquisa sobre a utilização de células tronco em displasia broncopulmonar, mas contada do ponto de vista da história da dra. Suguihara: “Cleide Trindade apresentou o lado profissional, mas Lígia contou de sua capacidade de agregar, de acolher os médicos brasileiros que visitam Miami, contribuindo muito para a disseminação do conhecimento. Foi emocionante”, comentou a dra. Alzira Lobo. “Os trabalhos são promissores. Acredito que será possível melhorar muito o desenvolvimento pulmonar do prematuro”, disse Suguihara, que foi aplaudida de pé.

Destacando também a premiação dos temas livres, os importantes cursos realizados durante o Congresso, dentre os quais o de Reanimação Neonatal, o presidente da SBP parabeniza toda a comissão organizadora e os integrantes do Departamento Científico de Neonatologia da atual e da gestão passada. Dr. Eduardo Vaz também assinala a contribuição da palestra de abertura, realizada pelo dr. Navantino Alves Filho, de Belo Horizonte, sobre a história da perinatologia no País e que registra importantes avanços nas últimas décadas. “A Sociedade tem atuado muito não apenas pela sobrevida dos recém-nascidos, mas por mais qualidade de vida a longo prazo”, lembrou, satisfeito com os resultados do Congresso.

Drs. Virginia Weffort, Kátia Laureano, Eduardo Vaz, Marilene Crispino, José Roberto Ramos, Edson Liberal e Isabel Mendes