carregando...

Novo currículo global e valorização da pediatria avançam no Cone Sul

Arquivo 24/10/2013

Dirigentes das Sociedades de Pediatria do Cone Sul (foto acima) se reuniram em outubro, em Curitiba, durante o 36º Congresso Brasileiro de Pediatria. Dentre os assuntos discutidos, os representantes da Argentina, Chile, Uruguai, Paraguai, Bolívia e Brasil aprofundaram o debate sobre o novo currículo básico internacional unificado, elaborado pelo Consórcio Global de Educação Pediátrica (GPEC, a sigla em inglês), já aprovado em encontros anteriores. Decidiram que firmarão um convênio para sua implantação e que cada país escolherá “unidades-piloto”, a exemplo do que já fez o Brasil, onde a nova formação já terá início em 2014, em alguns serviços. A proposta é fortalecer o intercâmbio entre professores, residentes e preceptores.

Com base no novo currículo também a próxima edição do Tratado de Pediatria elaborado pela SBP será transformada no Tratado do Cone Sul, com autoria das Sociedades da região, lançado em português e espanhol, além de possivelmente também em inglês. Foram formados dois Comitês, um dedicado à Educação Pediátrica e que se encarregará, dentre outras tarefas, de coordenar a elaboração do Tratado. Para isso, cada país indicará temas e autores, de acordo com sua experiência.

O segundo Comitê criado por um representante de cada Sociedade tem como tema o exercício profissional. Dr. Eduardo Vaz distribuiu, na reunião, a versão em português do “Manual de Prevenção, Intervenção e Acompanhamento de Violência para o Pessoal da Saúde no Âmbito do Trabalho”, elaborado pela Sociedade Argentina de Pediatria. “Vamos aprofundar o assunto”, adianta o presidente da SBP, “tratando inclusive das questões legais envolvidas na profissão”. A segurança no trabalho deverá ser discutida em cursos, palestras, jornadas, e ser considerada no processo de acreditação dos Programas de Residência.

Também foi apresentada como contribuição a proposta brasileira de Consulta de Puericultura com pagamento diferenciado – e que, esta semana, em 21 de outubro, passou a integrar o Rol da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS). Para o então presidente da Sociedade Argentina, Gustavo Cardigni, foi uma sugestão importante, “um parâmetro a ser adotado internacionalmente”, disse. Os dois Comitês também fizeram sua primeira reunião em Curitiba, apresentando em seguida suas propostas à plenária.

“É grande a interação e a afinidade entre os representantes das sociedades da região. Nosso trabalho cresce progressivamente, de maneira irreversível, com compromissos bem compartilhados”, comenta o dr. Dioclécio Campos Jr., representante da SBP  no GPEC. Para o dirigente brasileiro, entre as perspectivas que vão se abrindo está a de “evoluir para a construção de instância encarregada dos critérios e normas para a certificação e recertificação profissional, bem como de uma instância que sistematize a educação continuada com a velocidade que o exercício da profissão requer”, salienta.

Já criado anteriormente, o Fórum Permanente das Sociedades do Cone Sul teve aprovado seu estatuto e definidos os nomes de seu Núcleo Executivo. São eles: Ángela Gentile (presidente), Dioclécio Campos Jr. (secretário-executivo), Margarita Ramonet (secretária-adjunta) e Gustavo Cardigni (tesoureiro). Ángela Gentile assumiu a presidência da Sociedade Argentina de Pediatria no último dia 21. A sede do Fórum será sempre onde está a/o presidente. A próxima reunião foi marcada para 02 de abril, em Córdoba, Argentina.

Da esq. para a dir., drs. Norma Borgado (Paraguai), Viviana Pavlicich (Paraguai). Juan Max Boettner (Paraguai), Salim Eguiazú (Paraguai), Fernando José de Nóbrega (Brasil), Daniela Manole (Brasil/Editora Manole), Eduardo da Silva Vaz (Brasil), Dioclécio Campos Jr. (Brasil), Margarita Ramonet (Argentina), Gabriel Pelluffo (Uruguai), Adriana Iturralde (Uruguai), Hernan Sepulda (Chile), Francisco Moraga (Chile), Luis Zabatella (Bolívia), Estelas Perales, Angela Gentile (argentina) e Gustavo Cardigni (Argentina).