carregando...

O pediatra e o Transtorno do Espectro Autista

Arquivo 31/03/2011

31/03/11- Dia 02 de abril é o Dia Mundial de Conscientização sobre o Autismo. A data foi instituída pelas Nações Unidas em 2008, com objetivo de ampliar o conhecimento sobre um problema que calcula-se atingir uma em cada 110 crianças. Segundo o dr. Ricardo Halpern, presidente do Departamento Científico (DC) de Pediatria do Desenvolvimento e Comportamento da SBP, “é mais frequente que muitas doenças e ocorre mais em meninos, numa proporção de quatro para uma menina”. No Brasil foi feito um único estudo epidemiológico, realizado em Atibaia (SP), que encontrou uma prevalência de 27 por 10.000 habitantes. Acredita-se que existam em torno de dois milhões de autistas no País.

De acordo também com o dr. Ricardo, “está no grupo dos Transtornos Invasivos do Desenvolvimento e é melhor denominado Transtorno do Espectro Autista (TEA), terminologia mais apropriada, em razão da complexidade do quadro e da diversidade de sintomas”. Todas as áreas do desenvolvimento da criança são afetadas. “Em geral, o TEA acomete os indivíduos antes dos três anos de idade, se caracteriza por comprometer a capacidade de comunicação verbal e não verbal, reciprocidade social, e se acompanha de comportamentos bizarros ou estereotipados”, explica.

O presidente do DC salienta que “o autismo tem na sua etiologia uma base genética. Fatores ambientais e biológicos como prematuridade e problemas perinatais, por exemplo, podem ser gatilhos para que os indivíduos com a alteração genética desenvolvam o problema. A identificação dos sinais de autismo é decisiva na condução do tratamento. Quanto mais cedo for feito o diagnóstico, mais precoce também será a intervenção e maior o sucesso na diminuição dos sintomas”. Por isso mesmo, “acompanhando a criança desde os primeiros momentos de vida, conhecendo também a dinâmica de sua família, o pediatra tem uma posição ímpar nesta prevenção”, ressalta o dr. Ricardo.

A SBP tem entre suas prioridades a capacitação do pediatra no acompanhamento do desenvolvimento da criança e do adolescente. Coordenados pelo DC da área, serão ministrados cursos em todo país, nos quais, entre outras questões, o Transtorno do Espectro Autista será abordado. Desde já, o Departamento de Pediatria do Desenvolvimento e Comportamento disponibiliza para o pediatra um texto mais geral e o A.L.A.R.M.E – uma ferramenta que poderá ser útil em sua prática. Ambos podem ser encontrados na SBP CiênciaClique aqui para acessar a revista.