Dúvida sobre sexualidade entre 10 e 12 anos

Departamento Científico de Adolescência

  • A sexualidade tem um conceito amplo que ultrapassa o componente orgânico e é desenvolvida desde a nossa concepção intrauterina. Ao longo da infância ocorre um contínuo na sua formação. Nesse processo do  desenvolvimento da sexualidade há vários aspectos envolvidos para que aconteça de forma saudável.

    Os adolescentes na fase inicial estranham as mudanças no seu próprio corpo, acham estranho beijar na boca, sentem dificuldade em manipular os próprios órgãos genitais e muitas vezes nem sabem como higienizá-los de forma adequada. Tudo é muito novo!

  • Porque quando chegamos na idade da adolescência nosso corpo sofre influência de substâncias chamadas hormônios que atuam na nossa vulva e vagina (órgão genital feminino).

    Por causa da ação desses hormônios ocorre um corrimento chamado fisiológico, isto é, adequado para a fase de transformação do corpo.

    Este corrimento costuma ser sem cheiro, transparente, às vezes um pouco esbranquiçado e no meio do ciclo menstrual, no período fértil, ficará mais semelhante a “clara de ovo”. 

  • Porque os hormônios, substâncias que começam a ser liberadas no nosso corpo, atuam no pênis (órgão genital masculino). Durante o sono você pode ter sonhado com alguma pessoa do seu desejo sexual e ocorreu uma ereção do pênis com ejaculação (saída de esperma, ou seja, o líquido produzido de dentro do órgão masculino). A isso chamamos de polução noturna. Esta é, muitas das vezes, como o garoto descobre que seu pênis não serve apenas para urinar.

  • Durante o banho deve lavar o corpo do pênis e expor a glande (região extrema do pênis onde desemboca a uretra), puxando a pele do prepúcio (“pele que recobre a cabeça do pênis”). Lavar bem com água e sabonete neutro, pois há acúmulo de secreções nesta região que causam mal cheiro e propiciam infecções locais.

  • A maneira para limpar o genital feminino após urinar ou evacuar é muito importante para evitar infecções que causam corrimento.

    O modo correto é sempre com o movimento de frente para trás, isto é da região da vulva para a região do ânus.

  • Sim. É através da masturbação individual (“fase autosexual”) que acarretamos conhecimento do prazer com o próprio corpo.

    Se o garoto ou a garota não tiver familiaridade com seu próprio corpo, não saberá identificar o que está sentindo quando tocado por outra pessoa, por ser as primeiras sensações prazerosas, que são totalmente novas. 

    Para o garoto o prazer com seu órgão genital nada mais é do que usar as mãos para friccionar o pênis e obter o gozo sexual, através da ejaculação, saída do líquido seminal.

    Para a garota o prazer com seu órgão genital nada mais é do que ficar esfregando os dois dedos do meio na vulva, mais especificamente no clítoris, região proeminente da genitália feminina, até gozar.

    É um aprendizado que além de propiciar o reconhecimento do seu próprio corpo trará sensações prazerosas benéficas ao desenvolvimento da sexualidade.

  • Muito provavelmente seus pais estão tendo relação sexual, isto é, estão “transando”. Muitas vezes as sensações que o corpo nos dá no ato sexual são muito intensas e boas fazendo com que as pessoas produzam sons como gemidos. A sua curiosidade é bem legítima nesta fase da vida e você pode perguntar para alguém de sua confiança sobre os assuntos da sexualidade. 

  • Cada vez que pensamos na pessoa, foco da nossa atração sexual, sentimos algo novo no corpo, isto significa que você está despertando sua sexualidade, chamamos de erotização.

  • Você pode tentar negociar com seus pais qual a idade seria interessante para eles que você namorasse. Desta forma, você terá clareza de quando eles irão permitir e poderá também argumentar com eles sobre as várias possibilidades que se abrirão através deste diálogo.

    Entende-se por diálogo quando um fala e o outro escuta e vice-versa, e não é os pais falarem as suas opiniões (“sermões”) e os filhos argumentarem ou se calarem. No diálogo existe troca, respeito e acima de tudo amor.

  • Porque eles desejam o bem para você e querem proteger você de algo ruim que possa lhe acontecer. Por isso tentam controlar o seu comportamento com a intenção de cuidar de você.

    É interessante você procurar manifestar seus sentimentos sobre sexualidade com seus pais para perceber se há possibilidade de entenderem as suas posições sobre o assunto.

  • Na maioria das vezes, os pais têm mais dificuldade de “cortar o cordão umbilical” dos seus filhos do que os adolescentes têm de se adaptar a vida sem os pais, isto é, se tornarem independentes.É preciso que você demonstre que eles podem confiar nos seus atos sendo responsável com suas atitudes, para gradativamente, você seja respeitado na sua individualidade. 

Nossos Endereços

SBP-Sede • R. Santa Clara, 292 - Rio de Janeiro (RJ) - CEP: 22041-012 • 21 2548-1999 

FSBP • Alameda Jaú, 1742 – sala 51 - São Paulo (SP) - CEP: 01420-002 • 11 3068-8595 

SBP-RS • Av. Carlos Gomes, 328/305 - Porto Alegre (RS) - CEP: 90480-000 • 51 3328-9270 / 9520