Dúvida sobre sexualidade entre 16 e 19 anos

Departamento Científico de Adolescência

  • O assunto diz respeito a temas que os pais se sentem constrangidos em abordar com seus filhos e eles mesmos não se sentem à vontade para falar, principalmente se estão na fase dos 16 a 19 anos.

    No início das experiências sexuais os adolescentes não conversam a respeito com seus pais por sentirem vergonha e, posteriormente, não querem expor sua intimidade. Por isso vão procurar em fontes, na maioria das vezes, equivocadas e não confiáveis, como amigos e redes sociais. 

    Quanto mais monitoramento dos pais e diálogo, e não “sermões” sobre o assunto, há uma probabilidade menor de comportamentos sexuais de risco. O diálogo precisa ser franco, focando não no controle da vida do filho, mas nos sentimentos e percepções dele. Por exemplo, enfocar o quanto é importante o afeto, o amor, nas relações entre as pessoas e não somente “transar por transar”!

    Importante lembrar que “os pais não precisam dar conta de tudo sobre seus filhos e devem pedir ajuda para quem tem capacidade e habilidade para lidar com questões específicas dos adolescentes”.

  • Libido é caracterizada como a energia aproveitável para os instintos de vida. O ser humano apresenta uma fonte de energia separada para cada um dos instintos gerais. A libido é o termo que se utiliza quando se refere  ao desejo sexual, esse impulso e motivação que incita a manter relações sexuais. Portanto, o desejo é a percepção de um ato sexual que se quer realizar. Por exemplo, beijo na boca é uma expressão de desejo e não só o ato sexual em si

  • Tesão é o desejo sexual centrado ou direcionado numa determinada pessoa. É a atração sexual pelo outro, a erotização. 

  • Cada vez que que se pensa em uma  pessoa, foco de uma  atração, sente-se algo novo no corpo, desde aceleração do coração até inquietação interna inexplicada, como exemplo, um dos sintomas frequentes é a insônia. 

  • Necessidade é a sensação de precisar realizar o ato sexual, mas sem perceber o desejo e sem tesão. Assim, o consentimento não é estabelecido de forma clara por ambas as pessoas envolvidas. 

  • Após o desejo, a primeira fase do ato sexual em si, consiste na excitação.

    Nesta fase percebe-se a erotização, isto é, o desejo e o tesão pela outra pessoa.

    Esta atração sexual inicia-se de forma fantasiosa, ou seja, através da imaginação em relação a outra pessoa. Exemplo: sonhar com a pessoa por quem se sente afeto.

    No primeiro momento, é melhor não ir diretamente tocando os órgãos genitais. As carícias, como beijar na boca são estímulos importantes para o início da excitação.

    Para os garotos a visualização do corpo feminino já é um grande estímulo para a excitação.

    Para as garotas é necessário um pouco mais de toque físico, ou seja, tocar as áreas erógenas do corpo. Como aparecem nos filmes, as orelhas, a nuca, a barriga, a face interna das coxas e qualquer outro ponto sensível que seja estimulado pela outra pessoa. 

  • A excitação se torna tão intensa com o toque nos órgãos genitais, ou seja, no pênise na vulva e vagina que o garoto sentirá seu pênis “ficar duro”, ou seja, ereto e a garota sentirá sua vagina mais úmida e vontade de ser penetrada.

    Só se deve permitir que isso ocorra quando sente-se preparados para tanto, ou seja não se deve permitir que a relação sexual aconteça apenas para tentar agradar ou suprir a necessidade do outro. 

  • O ideal é que a relação sexual continue até que ambos envolvidos na relação, percebam que os orgasmos estão para acontecer e que, se possível, ocorram ao mesmo tempo, porque o orgasmo conjunto será mais intenso e prazeroso.

    Quando não ocorre desta forma, é porque há dificuldade em acertar a sintonia entre as duas pessoas. Para que se desenvolva esta harmonia é preciso um treinamento gradativo, isto é, mais vivências. Estas experiências vão facilitar deduzir se o parceiro estava excitado além do desejado ou não excitado o suficiente. 

  • Durante o ato sexual cada um dos parceiros pode ir falando como deseja o ritmo da penetração e, vai sentindo o coração acelerar, a respiração ficar mais profunda, ondas de calor invadindo o corpo, os músculos vibrarem e uma descarga repentina de energia faz com que a pessoa pareça “subir pelas paredes”!

    A sensação de prazer é experimentada de forma pessoal e intransferível, mas essa Energia Sexual é tão poderosa que é capaz de gerar uma Nova Vida!

  • Inicia-se a fase de relaxamento, pois a fase de penetração ocorre com intensa atividade muscular, é comum haver sonolência nos garotos principalmente, e nesta fase relaxar abraçados ou acarinhar um ao outro costuma ser muito agradável.

    É importante lembrar que os garotos são diferentes das garotas, o funcionamento é diverso. Assim, os garotos entram num período chamado de refratário, isto é, mesmo que ele tente manter a atividade sexual pode não acontecer nova ereção. Já para as garotas com mais experiências é possível atingir vários orgasmos. 

Nossos Endereços

SBP-Sede • R. Santa Clara, 292 - Rio de Janeiro (RJ) - CEP: 22041-012 • 21 2548-1999 

FSBP • Alameda Jaú, 1742 – sala 51 - São Paulo (SP) - CEP: 01420-002 • 11 3068-8595 

SBP-RS • Av. Carlos Gomes, 328/305 - Porto Alegre (RS) - CEP: 90480-000 • 51 3328-9270 / 9520