Meu filho quer fazer tatuagem definitiva ou colocar um piercing. E agora?

Departamento Científico de Adolescência

  • É cada vez mais frequente o número de adolescentes e jovens que possuem um estilo próprio de se vestir e de viver em sociedade, o que significa buscar uma identidade de grupo, uma marca, um pertencimento. Entre muitos modismos, estão a tatuagem e os piercings  em todas as classes sociais  Os pais muitas vezes não sabem lidar com a situação quando um(a) filho(a) quer fazer tatuagem.

    O diálogo é a melhor forma de discutir o que é a tatuagem e, se este é momento para tomar uma decisão que será definitiva na vida do seu(sua) filho(a) Mostrar  as consequencias que podem ocorrer ,  e que modismo é passageiro . Perguntar porque deseja fazer tatuagem . Não dizer não , mas propor pensarem juntos e depois tomar decisão, Às vezes, uma boa conversa pode ser o suficiente para que os filhos repensem e reflitam sobre ter ou não uma tatuagem definitiva.

  • O período da adolescência implica em um processo de auto aceitação e afirmação. Os adolescentes atravessam um fenômeno social onde as marcas em seu corpo fazem parte da busca de uma identidade própria, enfrentando a perda do corpo infantil, dos pais da infância, do seu mundo infantil. Nesta fase é que ocorre a busca pela adaptação no grupo no qual mais se identificam, então, podem surgir asvontades de ter uma tatuagem, mudar a cor do cabelo, colocar piercings ou alargadores entre outros procedimentos no intuito de pertencer ao grupo e ser aceito. Esses desejos podem ser passageiros ou não, mas os membrosda família devem estar cientes sobre o que pensam seus adolescentes e dialogar de forma aberta com eles. Caso os desejos não sejam passageiros, os pais devem saber lidar com a situação que enfrentam.  A sugestão com isto é que, você converse com o seu/sua filho(a) e entenda os reais motivos e desejos dele(a) nessa fase da vida. Se o desejo é pertencer a um determinado grupo, por exemplo. 

  • Converse com ele, escute-o, tente saber o porquê do desejo de fazer uma tatuagem. Se você sentir que não é apenas uma vontade passageira que ele(a) tem, e não tiver nada contra esse tipo de procedimento, e aceitar e respeitar o desejo do seu/sua filho(a), então a melhor resposta a dar para esses casos é sim!

    É necessário que o(a) adolescente tenha conhecimento das consequências e possíveis riscos associados a estes procedimentos que estarão incorporados a seu corpo e que pense a longo prazo.

  • Dar uma resposta negativa a um(a) filho(a) não é tão simples pois eles exigem explicações convincentes. Tente expor todos os seus pontos de vista e o porquê você não concorda com essa vontade dele(a). Levar-lo a refletir que fazer uma tatuagem nessa época da vida poderá trazer arrependimentos no futuro.  A resposta negativa em definitivo deve ser dada ao(a) adolescente, assim que os pais tiverem a certeza atravésdo diálogoe do conhecimento íntimo dos sentimentos do seu/sua filho(a). Os pais/responsáveis sabendo que nesta fase da vida os amigos(as) são grandes influenciadores nas decisões de seus/suas filhos(as) precisam alertar que esses procedimentos não devem ser realizados sob pressão do grupo de pares, pois cada um necessita descobrir individualmente o que é importante para sua vida e talvez seja preciso mais tempo para fazer uma escolha com menor risco e segura para sua saúde. 

  • Mostre a ele (a) que existem tatuagens temporárias e que estas, por exemplo, podem não prejudicar sua vida profissional, e podem experimentar verificar se realmente desejarão ter uma definitiva. As tatuagens de Henna são temporárias, ou seja, elas saem com o tempo! As tatuagens de Henna tem a duração de 10 a 20 dias, o que não é muito tempo, mas dá para “matar a vontade” do jovem que quer fazer uma tatuagem e testar as imagens que tatuaria na sua pele e local do corpo a escolher para realizar a tatuagem que poderá no futuro permanecer.

  • Há sim recomendações e diretrizes sobre os cuidados necessários com piercings e tatuagens em adolescentes e jovens adultos ditados pela Academia Americana de Pediatria (AAP), são elas:

    a.       Os locais onde podem ser realizados tatuagens e piercings preconizam como idade mínima 14-16 anos (conforme região), para que um jovem possa fazer uma tatuagem ou colocar um piercing, exigindo também uma autorização dos pais por escrito e aconselhando ainda que estes estejam presentes no estúdio. Geralmente, só a partir dos 18 anos, é que estas manipulações podem ser feitas sem a autorização dos pais. Confira a regulamentação em seu estado ou município.

    b.      Querer fazer uma tatuagem ou um piercing não significa que você ou seu filho ou filha sejam considerados de forma inadequada. 

    c.       Muito provavelmente, ter uma tatuagem ou um piercing não vão impedi-los de serem selecionados a um emprego. 

    d.      É possível remover tatuagens, mas não se deve pensar logo nessa possibilidade quando se decide fazer uma. As técnicas de remoção de tatuagens não devem ser vistas como uma solução fácil para uma tatuagem inadequada ou da qual possam se arrepender. As tatuagens devem continuar a ser vistas como algo permanente.

    e.       Apesar de poderem surgir problemas, a taxa de complicações com tatuagens é bastante baixa.

    f.        Sugere-se que visitem vários estúdios, até decidir e escolher pelo mais adequado às suas exigências e tendo ciência dos procedimentos para a realização de tatuagens ou colocação de piercings.

  • Verifique o calendário vacinal de seu/sua filho(a) e se não está usando medicamentos que de alguma forma possam comprometer o procedimento ou sua saúde, Deve-se verificar a cobertura vacinal relativa à Hepatite B, antes que adolescentes realizem os procedimentos, completando a imunização, caso estejam faltando doses.

    Além disto:

    a.       Procure um local seguro que deva estar limpo, tenha alvará e controle de vigilância sanitária. Procure informações em site adequados e de pessoas de confiança,

    b.      A área de trabalho deve ter boa iluminação,

    c.       Verifique se os equipamentos são esterilizados em autoclave,

    d.      Tenha certeza que são usadas agulhas descartáveis,

    e.       Tenha certeza que são utilizadas luvas descartáveis,

    f.        Verifique se o tatuador lavou e secou as mãos de forma adequada,

    g.      Verifique se o tatuador abriu as embalagens do material a ser usado na sua frente e se após o procedimento descartou o material em recipiente adequado,

    h.      Verifique se as tintas a serem aplicadas são novas, pois a mesmas não podem ser reaproveitadas caso sobrem em procedimentos realizados anteriormente.

  • a.       Para o umbigo, um piercing curvo (pequena barra de ferro curvada) provavelmente, é mais confortável do que uma argola. Este tipo de piercing também reduz o risco de infeção e de cicatrizes num umbigo. Isto porque as argolas demoram mais a sarar (ficam mais de uma semana com secreção serosa até ocorrer o processo total de cicatrização) porque estão sempre em atrito com roupas ou outros objetos.

    b.      As taxas de infeção em piercings na língua e nos lábios são bastante baixas. Como a língua incha depois do piercing, recomenda-se que inicialmente, use um piercing com uma barra mais longa, no entanto, depois da redução do inchaço deve mudar para uma barra mais curta para reduzir os danos nos dentes e nas gengivas.

    c.       Brincos ou piercings muito pesados podem mesmo esgarçar a pele. Não há como combater o peso da gravidade! Optar por intercalar brincos mais pesados com brincos leves e curtos pode ajudar a manter os furos bonitos e a pele no seu lugar.

    d.      Apesar de geralmente, os piercings serem seguros, muitos adolescentes conhecem alguém que já teve uma reação adversa como uma hemorragia anormal ou queloides (crescimento excessivo da pele no local da cicatriz).

    e.      O adolescente não deve colocar piercing em seu amigo ou deixar que um amigo lhe faça um piercing, não vale a pena o risco à saúde!!!

  • Se feito em estabelecimentos adequados, com condições de higiene exigidas pela Vigilância Sanitária, a resposta é não. O problema é que, como estes estabelecimentos normalmente, não fazem tattoos em adolescentes, a tendência é do(a) adolescente frequentar um lugar sem preparo adequado e condições mínimas de higiene.

    O risco existe nesses locais inadequados e assim, as infeções acontecem e os sinais de alerta devem ser conhecidos para preveni-los. A infeção no local que a tatuagem for realizada pode surgir devido a tinta ou agulhas de tatuagem contaminadas, à desinfeção inadequada da pele que vai ser tatuada ou a lesões durante o processo de cicatrização e, podem surgir entre quatro dias ou três semanas após a tatuagem ser feita. O tatuador deve alertar para os sinais de calor, inchaço, vermelhidão e dor no local e dar as informações sobre o que fazer nessa situação e recomendar que procurem o médico imediatamente, aos primeiros sinais de alerta.

  • Os sinais de alerta consistem em dor, calor, rubor e endurecimento no local da tatuagem; secreção amarelada/escura/sangramento na região e febre. As infecções como Hepatites B e C, além do HIV e sífilis, podem ser contraídas, com estes procedimentos, realizados sem os devidos cuidados. 

  • Sim, são elas: reações alérgicas aos pigmentos das tintas; dermatite de contato; reações granulomatosas (reação no tecido da pele) devido ao corpo reconhecer a tatuagem como corpo estranho a ela, além de queloides (cicatrização exagerada e elevada na pele).

  • O momento ideal para se tomardecisões definitivas, com certeza não é na fase da adolescência, quando áreas específicas responsáveis pelas escolhas ainda não estão prontas, assim a chance de arrependimento será bem maior se tomada a atitude nesta época da vida.

    Portanto, procure alternativas temporárias para realizar os desejos dos adolescentes e aguarde um pouco mais para decidir por opções definitivas e, por fim, ouça os conselhos de pais e profissionais capacitados a auxiliar numa escolha

Nossos Endereços

SBP-Sede • R. Santa Clara, 292 - Rio de Janeiro (RJ) - CEP: 22041-012 • 21 2548-1999 

FSBP • Alameda Jaú, 1742 – sala 51 - São Paulo (SP) - CEP: 01420-002 • 11 3068-8595 

SBP-RS • Av. Carlos Gomes, 328/305 - Porto Alegre (RS) - CEP: 90480-000 • 51 3328-9270 / 9520