Meus filhos adolescentes - Parte II

Departamento Científico de Adolescência

  • No sexo feminino se inicia, na grande maioria das garotas, com o desenvolvimento mamário, depois aparecem os pelos pubianos, axilares e o crescimento em altura chamado de estirão.

    No sexo masculino, aparecem aumento dos testículos, depois dos pelos pubianos, axilares, e posteriormente, aumento do pênis (órgão genital masculino) em comprimento e após em diâmetro, acompanhado do crescimento em estatura.

  • É a aceleração do crescimento estatural, isto é, o crescimento rápido longitudinal, atingindo assim a sua estatura final com o término do seu desenvolvimento físico.

  • O crescimento do corpo se inicia pelas extremidades: pés, mãos, pernas, antebraço coxas e braços. O tronco e crânio crescem depois, com isto, há uma desproporção, que mais tarde irá se tornar harmônica. Desta forma, o adolescente precisa de tempo para acostumar-se com as novas proporções corporais. Imaginem uma mulher quando está no final da gravidez, ela não conseguirá mais agachar-se para amarrar suas sandálias devido ao tamanho de sua “barriga”, e terá que levar os seus pés para perto de suas mãos para conseguir executar este ato. O jovem passa por uma experiência semelhante com todo o seu corpo.

  • Ouvir o que ele tem a dizer, e explicar como ocorre a sequência do desenvolvimento corporal, enfatizando que depois tudo se normaliza, sendo que as extremidades, pés e mãos, param de crescer por primeiro. Explicar também que seu cérebro necessita de tempo para se acostumar com as novas proporções corporais e quando isto ocorrer, a sensação é de que “já passou” e tudo está “normal” novamente. Enfatizar que essa é a época em que serão admirados pelos demais e considerados muito fortes e bonitos

  • Durante a fase do desenvolvimento da adolescência, no sexo masculino, ocorre a mudança de voz, que é um músculo que se alarga e resulta numa voz com timbre mais   profundo, sofrendo alternância no som durante as fases de crescimento. Portanto, essas mudanças ocorrerão em período de alguns meses, tempo em que suas vozes “desafinarão”.


  • É o aumento do tecido glandular mamário (mama) no adolescente do sexo masculino, durante a maturação sexual. Não deve ser confundido com pseudo ginecomastia, que é aumento da glândula mamaria devido ao tecido adiposo (gordura) na região abaixo da aréola da mama, chamada de lipomastia e comum nos mais gordinhos.

    O adolescente deve ser orientado que é uma situação passageira, que desaparece com o tempo e que não tem que usar pomada ou creme e não é para apertar ou manipular, pois poderá machucar o local. O tratamento com cirurgia só será necessário em casos extremos, isto é, quando o volume da mama for muito grande, ou seja, além de 4 cm de diâmetro ou quando não regredir espontaneamente após 02 anos. Entretanto, em todas essas situações é aconselhável a avaliação por profissional habilitado (Pediatra ou Médico de Adolescentes) em acompanhar púberes/adolescentes.

    Se o conflito psíquico do adolescente for muito grande em relação ao volume da mama, orientar um acompanhamento com psicoterapia breve.

  • A menstruação é o sangramento vaginal mensal que toda mulher vivencia É uma função orgânica como qualquer outra, dormir, urinar, evacuar, etc.. Não é algo sujo, nem feio, nem vergonhoso

  • Atualmente, a média de idade da menarca (como chama-se a primeira menstruação) no nosso país é de 12,5 anos. Considera-se adequado quando a menarca surge entre os 9 e 16 anos . A maioria das jovens apresentam entre 11 e 13 anos, ao redor de 2 anos e meio após o início do aparecimento das mamas e dos primeiros pelos pubianos.


  • Em geral, dois anos após a menarca o ciclo ainda pode ser irregular, devido imaturidade orgânica. Algumas adolescentes demoram até 4 anos para que o ciclo se regularize.

  • Não, mas o pico de crescimento estatural (ou seja, o maior crescimento em altura), geralmente, ocorre meses antes da menarca. Após a primeira menstruação as meninas ainda crescem por alguns anos, mas de forma mais lenta.   

  • Parcialmente verdade. Quando submersas, tanto a pressão da água quanto a temperatura mais fria, dificultam a descida da menstruação.  Se o volume menstrual, porém, for muito grande, ou se a mulher fizer muito esforço dentro da piscina, é possível, sim que ocorra o sangramento.

  • Não! Fazer exercícios durante a menstruação pode inclusive melhorar os sintomas e incômodos do período menstrual. Destaca-se, que nem todas as adolescentes apresentam essas sensações durante seu período menstrual, apenas um pequeno percentual delas. As mulheres possuem, em média, de 3,5 a 4,5 litros de sangue circulando no organismo, e durante a menstruação, máximo, 80 ml de sangue são perdidos ao longo dos dias menstruais, e estes provavelmente, não farão grande falta. Em alguns casos, há jovens que preferem ficar mais recolhidas durante este período, mas é uma característica individual. Conheça como o seu corpo funciona e o respeite tentando fazer o que lhe deixa bem

Nossos Endereços

SBP-Sede • R. Santa Clara, 292 - Rio de Janeiro (RJ) - CEP: 22041-012 • 21 2548-1999 

FSBP • Alameda Jaú, 1742 – sala 51 - São Paulo (SP) - CEP: 01420-002 • 11 3068-8595 

SBP-RS • Av. Carlos Gomes, 328/305 - Porto Alegre (RS) - CEP: 90480-000 • 51 3328-9270 / 9520