Infecção urinária na criança

Departamento Científico de Nefrologia

  • Os sintomas e sinais variam com a idade.

    Os bebês até 2 anos de idade geralmente apresentam febre, podendo ser o único sintoma, ou se associar com recusa alimentar e diminuição da atividade. Nos recém-nascidos além da febre, o recém-nascido não quer mamar, está “molinho”, respirando “cansadinho”, olhos mais fundos, “não está bem” e está piorando. Necessita de atendimento pediátrico com urgência.

    Na criança maior que 2 anos, principalmente maior que 4 anos e adolescentes, são mais frequentes: dor ou ardor ao urinar, retenção de urina, aumento da frequência que vai ao banheiro para urinar, perda de urina na roupa ou na cama (que não apresentava antes), dor na região inferior do abdômen; podendo, ou não ter febre. A febre quando alta (> 39°C) com calafrios e queixa de dor nas costas, na região lombar, ocorre quando a infecção afeta os rins e requer imediato atendimento pediátrico.

  • Quando uma criança tem sintomas e sinais sugestivos de infecção urinária a confirmação é feita através dos exames da análise da urina e da cultura de urina.

  • Não. Pode ocorrer de a amostra da urina ter sido coletada de forma incorreta, podendo haver uma contaminação dessa urina, e assim, o exame mostrar um resultado falso de infecção urinária.

  • Porque geralmente têm condições clínicas que facilitam essas infecções. Nas crianças menores de 2 anos, são as malformações congênitas do trato urinário, isto é, alterações do aparelho urinário que a criança já tem desde o nascimento; e nas crianças maiores que 3 a 4 anos, são a constipação intestinal e a disfunção da bexiga; isto é, quando a criança tem retenção das fezes, apresentando fezes ressecadas, volumosas, “que entopem sanitário”, ou em “bolinhas”; ou intervalo das evacuações maior que

    dois a três dias; e, ou quando a criança urina com muita frequência, tem perda involuntária de urina nas vestes, “prende a urina”, ou tem retenção urinária.