Alergia a picadas de insetos - o pesadelo do verão

Departamento Científico de Dermatologia

revisado em julho de 2017

Com a chegada da primavera e do verão, as crianças brincam mais ao ar livre e com pouca roupa. Como o calor favorece a multiplicação de insetos, neste período aumenta também o número de crianças com alergia as picadas de insetos. No momento da picada, o inseto injeta sua saliva na pele da criança. Se ela é alérgica, o local poderá ficar avermelhado e coçando muito. O efeito dura de 7 a 10 dias. A coçadura abre pequenas feridas e deixa manchas brancas que desaparecem em poucos meses. Em alguns casos, pode ocorrer infecção por bactérias, o que deixará uma ferida amarelada. A alergia começa quando a criança tem entre 1 e 2 anos de idade, e a pele vai ter “bolinhas” que pioram nos períodos de calor. Em alguns casos a coceira pode incomodar até para dormir. Mas saiba que, ao longo do tempo, as lesões vão diminuir e quando a criança chegar próximo dos 8 a 10 anos, praticamente não terá mais reação alérgica. Alguns pais pensam que seu filho tem alergia a alimentos ou ao calor, e acabam retirando alimentos que são importantes para o crescimento da criança. Não corra este risco. A forma como a lesão se apresenta na pele indica que foi uma picada de inseto, mas só o seu pediatra poderá dizer se a reação é ou não alergia à picada.  

Veja como suspeitar de alergia à picada de inseto

• Se as lesões ocorrem mais nos períodos quentes, quando aumentam os insetos.

• Bolinhas avermelhadas nos braços e pernas, geralmente provocadas por pernilongos.

• Bolinhas alinhadas - um banquete dos insetos (café/almoço/jantar) que podem ser pulgas, ácaros, percevejos de colchões, ou piolhos de aves.

• Bolinhas alinhadas próximas ao elástico da roupa íntima, provavelmente provocadas por pulgas. O pediatra pode receitar medicamentos que melhoram a coceira e os pais poderão adotar alguns cuidados para que a criança seja menos castigada pelos insetos.  

Prevenindo as picadas de insetos

• Coloque telas nas janelas ou feche-as antes das cinco da tarde, para que os insetos não entrem.

• Coloque mosquiteiro de tecido fino sobre a cama de seu filho.

• Quando a criança for brincar ao ar livre, vista-a com roupas finas, mas de mangas compridas e com punhos fechados para cobrir braços e pernas.

• Elimine os formigueiros do quintal ou, se isso não for possível, vista a criança com calçados fechados.

• Os repelentes podem ser tóxicos para crianças. Só o pediatra poderá indicar o que, quando e como usar.

• Elimine as pulgas dos cães e gatos, pois elas também podem picar os seres humanos.  

O que fazer no local das lesões

• Mantenha o local limpo, lavando com água e sabonete.

• O pediatra indicará a medicação para que a criança fique confortável.

• Não aplique substâncias caseiras.  

Com todos estes cuidados, curta o verão com seu filho!  


Nossos Endereços

SBP-Sede • R. Santa Clara, 292 - Rio de Janeiro (RJ) - CEP: 22041-012 • 21 2548-1999 

FSBP • Alameda Jaú, 1742 – sala 51 - São Paulo (SP) - CEP: 01420-002 • 11 3068-8595 

SBP-RS • Av. Carlos Gomes, 328/305 - Porto Alegre (RS) - CEP: 90480-000 • 51 3328-9270 / 9520