Voltar ao Portal SBP
Dor e sangramento nos seios. O que pode ser?

Departamento Científico de Aleitamento Materno 

  • É bem provável que seja a apojadura, isto é, a descida do leite. No início (1ª semana), as mamas produzem um volume menor do colostro. Com a “descida” do leite, o volume aumenta e as mamas ficam mais cheias, apresentando este aspecto. O importante é que o bebê mame sob livre demanda, isto é, a hora e o tempo que quiser, assim o leite será produzido no volume que for necessário. Se as mamas permanecerem muito inchadas, muito vermelhas ou fique desconfortável, então procure um pediatra, ginecologista, banco de leite humano ou a maternidade onde o bebê nasceu. 

  • Sangramento e dor são frequentes quando a pega ou posição da criança nas mamadas não estão adequadas, causando fissuras nas mamas.

    A pega correta cobre o mamilo e o máximo possível da aréola, mais aparente acima da boca do bebê, do que abaixo. A boca da criança deverá estar bem aberta, o lábio inferior voltado para baixo e o superior para cima (boca de peixinho), com coordenação entre sucção, deglutição e respiração.

    A posição da mãe e da criança são importantes. Mãe relaxada e confortável e bebê calmo, com rosto e corpo de frente e próximos (barriga com barriga).

    Se pega e posição estiverem corretas e os sintomas continuarem, procurar um profissional de saúde, o quanto antes, para observar melhor as mamadas é fundamental.

  • Faça um autoexame das mamas, procurando alguma lesão nos mamilos (erosão, fissura), caroços, pontos endurecidos, vermelhos, quentes. Diagnósticos como ingurgitamento mamário ou ductos lactíferos bloqueados podem ser suspeitados e precisam de rápida avaliação. Algumas vezes, a produção do leite pode ser maior do que a saída para o bebê. Mamadas em livre demanda podem resolver essa situação. Não havendo melhora, o médico deverá ser consultado.

  • Quando a mãe sente "fisgadas " ao amamentar o bebê, e a aréola está um pouco vermelha, com desconforto na mamada, é importante fazer uma avaliação com seu pediatra ou ginecologista. Esse quadro é sugestivo de candidíase nas mamas e, provavelmente, na boquinha criança. Ao exame, podem ser notadas lesões nas mamas e na boca do bebê (essas conhecidas como sapinho). O tratamento deve ser feito na mãe e na criança, sempre com avaliação médica (pediatra e/ou ginecologista). A amamentação deve ser mantida.