Você já ouviu FAKE NEWS sobre amamentação?

Departamento Científico de Aleitamento Materno 

  • Esse é um termo que tem sido muito utilizado nos últimos tempos e se popularizou na época das eleições. É uma expressão que, em inglês, quer dizer que uma informação é falsa, falsificada, fraudulenta, charlatanice. 

    E essas FAKE NEWS, quando divulgadas sem averiguação, sem comprovação, tornam-se uma mentira ou um boato. 


    Então, é importante ter muito cuidado quando se passa uma “informação” sem que se conheça a fonte. Isso é tão grave que gerou campanhas para averiguação de mensagens transmitidas pelo WhatsApp, por exemplo, para que se tenha mais critério na divulgação de dados.

  • Sim, com certeza. Muitas delas são motivadas por questões culturais, passadas de geração em geração, sem que houvesse uma comprovação científica para elas. 

    Exemplos? Muuuitoooossss.


    Leite empedrado faz mal para a criança; tomar leite provoca cólica na criança; leite fraco; leite vira água depois dos 6 meses; se engravidar tem que parar de amamentar e assim por diante.

  • Assim, SEMPRE ANTES de divulgar uma informação, ou quando receber algum palpite ou alguma dica de alguém que não seja da área de saúde, ou no caso da amamentação, não seja seu pediatra de confiança, ou algum profissional de saúde que trabalhe com amamentação, é fundamental conhecer a sua FONTE de referência. 


    Cuidado com a internet. Nela convivem dados de 50 anos atrás com os atuais, verdadeiros e inventados, boatos e ciência. Grupos de mães são importantes para a rede de apoio das mulheres que buscam acolhimento em seus desafios, em suas dúvidas. E mesmo que citem estudos e trabalhos científicos, se não forem profissionais da área de saúde, não têm o preparo adequado para analisar essas informações e adequar a cada caso.

    É fundamental que as crianças, desde recém-nascidas, tenham acompanhamento profissional periódico, de rotina (puericultura). Não há como fazer diagnósticos, sugerir exames ou tratamentos, sem examinar a criança. E isso só é possível em consulta ou em contato com profissional de saúde capacitado e habilitado.

  • Para quem está em dúvida sobre algo que ouviu, ou quer esclarecer alguma informação sobre amamentação, é importante ter fontes seguras e atualizadas. 

    A Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) disponibiliza um site (www.sbp.com.br) onde os profissionais de saúde podem ler e se atualizar com artigos recentes, estudos científicos embasados sobre o assunto (http://www.sbp.com.br/departamentos-cientificos/aleitamento-materno). 

    Além disso, a SBP tem outro site mais voltado para a s famílias (Pediatria para Famílias - http://www.sbp.com.br/especiais/pediatria-para-familias/nutricao/aleitamento-materno) com uma parte dedicada à amamentação. 

    Outros sites que podem ser pesquisados em busca de informações precisas: 

    O site da FIOCRUZ - Rede de Bancos de Leite Humano:

    https://rblh.fiocruz.br/pagina-inicial-rede-blh 

    O site do Ministério da Saúde, na parte votada para a criança: 

    http://portalms.saude.gov.br/saude-para-voce/saude-da-crianca

Nossos Endereços

SBP-Sede • R. Santa Clara, 292 - Rio de Janeiro (RJ) - CEP: 22041-012 • 21 2548-1999 

FSBP • Alameda Jaú, 1742 – sala 51 - São Paulo (SP) - CEP: 01420-002 • 11 3068-8595 

SBP-RS • Av. Carlos Gomes, 328/305 - Porto Alegre (RS) - CEP: 90480-000 • 51 3328-9270 / 9520