Segurança nos esportes

Departamento Científico de Segurança da Criança e do Adolescente 

  • O esporte é fundamental para o desenvolvimento das crianças e adolescentes. Além de melhorar o condicionamento físico, auxilia na prevenção e no tratamento da obesidade, do sobrepeso e do sedentarismo. Também favorece a disciplina, o trabalho em equipe, a liderança e a cooperação, assim como a habilidade de compartilhar, o controle do estresse e o ato de competir. Dentre seus benefícios, a prática esportiva comporta ainda a oportunidade de socialização, ajudando a valorizar as vitórias e aceitar as derrotas. Enfim, ela tem a capacidade de influir positivamente no desenvolvimento moral e social, sempre que pais e treinadores oferecerem ânimo, crítica construtiva e instrução ética. A prática de esportes, no entanto, não é isenta de perigos. Por isso é necessário conhecer os principais riscos de cada esporte e colocar em prática as medidas de segurança necessárias.

  • Para que o resultado da prática de esporte seja sempre positivo e sem intercorrências, a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), por meio de seu Departamento Científico de Segurança da Criança e do Adolescente, enumera as seguintes recomendações, que devem ser observadas antes de se iniciar uma sessão ou partida:
    1) Todo esportista deverá ser avaliado pelo pediatra antes de iniciar as atividades;
    2) O tipo de esporte deve ser escolhido de acordo com a idade, o crescimento (peso, altura), o desenvolvimento global, as características, a habilidade e a preferência da criança e/ou do adolescente;
    3) Os equipamentos de proteção devem ser usados, pois são indispensáveis para as atividades esportivas. Entre eles, estão capacete, luvas, protetores de joelhos, cotovelos e genitália;
    4) A prática esportiva deve ser realizada com a presença de treinador capacitado e responsável para maior segurança;
    5) Os locais para prática de esportes não devem ser improvisados ou inadequados, pois isso aumenta muito o risco de lesões;
    6) O atleta deve usar roupas e calçados apropriados ao esporte e manter-se bem hidratado, usando protetor solar para a prática esportiva sob o sol;
    7) É importante conhecer as regras do esporte, fazer aquecimento e alongamento e evitar treinamentos excessivos;
    8) A atividade só deve ser realizada se a criança e/ou adolescente estiver em boas condições de saúde.
     

  • Se apesar de todas as precauções acontecer alguma lesão, a criança ou adolescente deverá receber tratamento apropriado e somente voltar às atividades esportivas quando estiver recuperado. É recomendável que haja por perto pessoa capacitada para prover os primeiros socorros e colocar em prática as medidas de suporte básico de vida. Se for considerado necessário ou se os sintomas não desaparecem, o jovem deve ser levado para uma avaliação com médico em consulta ou serviço de urgência e emergência. 

  • Para manter o bem-estar e a autoestima das crianças e dos adolescentes, é importante que os pais, responsáveis e cuidadores reconheçam não só as habilidades dos mais jovens. Eles também devem estar atentos às suas limitações nas práticas esportivas e perceber se a atividade realizada está realmente sendo positiva e favorável às condições emocionais do praticante. Além disso, pais, professores e instrutores devem, em todas as oportunidades, ressaltar a necessidade do respeito ao adversário, além de combater todas as formas de violência.

  • Para saber qual o esporte mais adequado para uma criança ou adolescente, pelo menos naquele momento, é recomendável ficar atento a uma série de questões. A maioria dessas sugestões está baseada na capacidade e no exercício de observação dos mais jovens, em suas atitudes e habilidades. A seguir, estão as dicas da SBP:
    1) Crianças mais centradas e que possuem boa coordenação podem gostar de praticar esportes coletivos, como o voleibol, basquetebol, futebol e handebol;
    2) Crianças mais inquietas ou agitadas, distraídas, mas que trabalham quando motivadas, têm como melhores opções o atletismo ou a natação;
    3) Crianças perfeccionistas, que possuem autocontrole, podem se sair melhor em esportes individuais, como a ginástica, tênis, ou artes marciais;
    4) Crianças em boa forma física e fortes podem gostar de praticar esportes como boxe e rúgbi;
    5) Crianças muito ágeis conseguem e apreciam qualquer esporte disponível;
    6) Finalmente, e mais importante, respeite na criança/adolescente seus gostos, escolhas, capacidades corporais, possibilidades, personalidade e necessidades.

  • Sim. É importante também avaliar o grau de contato e o risco de colisão inerente a cada modalidade, bem como a aptidão da criança ou adolescente em enfrentá-los. Como exemplo:
    1) Alto risco de colisão: basquete, boxe, futebol, artes marciais etc.;
    2) Contato limitado: ginástica, esgrima, voleibol;
    3) Sem contato: corrida, tênis, natação. Para todos os casos e tipos é relevante buscar a orientação do professor de educação física ou treinador da modalidade antes de tomar qualquer decisão. Ele saberá avaliar melhor sobre qual o esporte ideal para cada menino ou menina.

  • Sim. Do mesmo modo que os adultos, as crianças devem encontrar e praticar um esporte que gostem. A escolha é uma tarefa em conjunto, entre pais e filhos. Neste processo, cabe aos pais ou responsáveis respeitar as características, gostos e interesse dos mais jovens, nunca obrigando-os a fazer algo que não gostem.

Nossos Endereços

SBP-Sede • R. Santa Clara, 292 - Rio de Janeiro (RJ) - CEP: 22041-012 • 21 2548-1999 

FSBP • Alameda Jaú, 1742 – sala 51 - São Paulo (SP) - CEP: 01420-002 • 11 3068-8595 

SBP-RS • Av. Carlos Gomes, 328/305 - Porto Alegre (RS) - CEP: 90480-000 • 51 3328-9270 / 9520