Vacinação: proteção além do indivíduo

Departamento Científico de Imunizações 

  • Todas as pessoas da comunidade onde o vacinado vive! Toda pessoa vacinada desenvolve proteção contra a infecção ou contra a gravidade da doença contra a qual ele se vacinou. Mas a proteção se estende àqueles que estão próximos também. Assim é que a vacina pode ter um resultado mais abrangente que o número de pessoas vacinadas naquela população.

  • É bem conhecida a proteção desenvolvida numa pessoa que faz uso de uma vacina. Nessa pessoa, a vacina que contém microrganismos com virulência bastante diminuída, ou ainda, partículas não infectantes desses agentes infecciosos, induzem a produção de elementos de defesa (anticorpos), fazendo com que ele esteja protegido. Assim, a pessoa não adquire a doença ou a apresenta de maneira muito menos grave do que se contaminado pelo microrganismo na sua forma natural (selvagem).

  • Não apenas, pois existe outra proteção que é muito importante para o controle das doenças na população, que é chamada de “imunidade ou proteção de rebanho”. O efeito da proteção de rebanho ocorre quando uma alta proporção de moradores de uma comunidade se vacina, diminuindo assim a oportunidade de esse microrganismo circular amplamente e infectar mesmo os não vacinados. Se existe pouca oportunidade de um vírus ou bactéria circular, não há propagação, e menos pessoas adoecem.

  • É muito importante obter elevadas coberturas de vacinação numa população, pois assim protegeremos todos, em especial aqueles que não podem se vacinar (transplantados, aqueles que usam medicamentos que reduzem as defesas da pessoa e os que têm alergia a componentes da vacina, pacientes com câncer, entre outros). Por isso, devemos sempre vacinar nossas crianças saudáveis, para que todos possam estar protegidos.

    Quando não se consegue atingir coberturas vacinais altas, há sempre o risco de aumento de casos de uma determinada doença.

  • O sarampo é uma doença extremamente contagiosa, que não poupa indivíduos sem vacinação. Infelizmente nossas taxas de vacinação (coberturas) não estão ideais, o que propiciou a entrada e a circulação do vírus entre nós, após a situação estar bem controlada no país até então. Muitas das mortes que estão ocorrendo pela doença acontecem em pessoas que não podem ser vacinadas (por exemplo, crianças pequenas) e poderiam ser beneficiadas da proteção de rebanho.

  • Exatamente! Vacinar nossas crianças é um, ato de amor e de cidadania!

Nossos Endereços

SBP-Sede • R. Santa Clara, 292 - Rio de Janeiro (RJ) - CEP: 22041-012 • 21 2548-1999 

FSBP • Alameda Jaú, 1742 – sala 51 - São Paulo (SP) - CEP: 01420-002 • 11 3068-8595 

SBP-RS • Av. Carlos Gomes, 328/305 - Porto Alegre (RS) - CEP: 90480-000 • 51 3328-9270 / 9520