Criança sem cicatriz vacinal não precisa tomar nova dose contra tuberculose

Publicado em 06 de fevereiro de 2019  

Crianças imunizadas contra a tuberculose, mas que não apresentam a cicatriz vacinal não precisam ser revacinadas. Esta é a nova recomendação do Ministério da Saúde, divulgada nesta terça-feira (05).  

A vacina BCG, que previne contra a tuberculose, é aplicada nos recém-nascidos. Normalmente, depois de dois ou três meses surge uma ferida no local da aplicação que acaba ocasionando uma cicatriz.  

Segundo o presidente do Departamento de Imunizações da Sociedade Brasileira de Pediatria, Renato Kfouri, este processo era indicativo de que a vacina tinha sido eficaz: “esta é a evolução normal que se relacionava com a pega da vacina. Quando a criança desenvolve essa cicatriz significava que ela estava protegida”.  

Se as crianças não apresentavam essa reação, a vacina contra a tuberculose era reaplicada após seis meses. O médico explicou que a medida era tomada devido ao receio de que elas estivessem desprotegidas.  

A nova recomendação do Ministério da Saúde está alinhada com a Organização Mundial da Saúde e com o Comitê Técnico Assessor de Imunizações. Após estudos foi comprovada a eficácia da vacina também em crianças que não ficam com cicatriz.   A nova orientação foi encaminhada aos Estados e municípios na última sexta-feira (1º).  

Baixe o anexo e ouça a matéria na íntegra

Eventos
Nossos Endereços

SBP-Sede • R. Santa Clara, 292 - Rio de Janeiro (RJ) - CEP: 22041-012 • 21 2548-1999 

FSBP • Alameda Jaú, 1742 – sala 51 - São Paulo (SP) - CEP: 01420-002 • 11 3068-8595 

SBP-RS • Av. Carlos Gomes, 328/305 - Porto Alegre (RS) - CEP: 90480-000 • 51 3328-9270 / 9520