carregando...

SBP chama atenção para a importância da vacina contra a influenza

SBP em Ação 29/04/2016

Cartaz Influenza 2016

A influenza, popularmente conhecida como gripe, pode ser grave e levar à morte. Dados epidemiológicos do Ministério da Saúde (MS) mostram que, neste ano, expressivo número de óbitos já ocorreu no Brasil em decorrência da doença. No entanto, o presidente do Departamento de Infectologia (DC) da SBP, Aroldo Prohmann de Carvalho, lembra que a prevenção pode e deve ser feita com a vacina. A 18ª Campanha Nacional de Mobilização começa no dia 30 de abril e vai até 20 de maio.

“A SBP recomenda que todas as crianças brasileiras sejam imunizadas, especialmente as menores de cinco anos, as gestantes, as puérperas, os idosos e as pessoas que tenham alguma doença crônica ou grau de imunodeficiência. Essa é uma vacina segura, com evidências científicas comprovadas de proteção, cujas contraindicações formais são bastante restritas e devem ser orientadas pelo pediatra. Em duas semanas após a vacinação, o organismo já produz imunidade”, frisa.

Dr. Aroldo esclarece que os efeitos colaterais que podem surgir eventualmente são como de qualquer outra vacina. “A pessoa poderá sentir dor local, reação febril ou raramente ter alergia a alguns dos componentes da vacina. Todo produto biológico pode apresentar reação adversa, mas as reações às vacinas geralmente são muito leves se comparadas aos riscos e manifestações da doença”, salienta.

Tipos de vírus

Segundo o dr. Aroldo, os vírus Influenza que causam principalmente doença no ser humano são os tipos A e B. “Os subtipos de Influenza A previstos para causar doença neste ano são o H1N1 e H3N2, já de Influenza B, as linhagens Victoria e Yamagata”.

O especialista explica que a vacina é produzida anualmente especificamente contra os vírus que vão acometer os indivíduos, no nosso caso, aqui no Brasil, no Hemisfério Sul, a partir de estudos e recomendações da Organização Mundial de Saúde: “A OMS tem um grupo de especialistas que verificam o comportamento do vírus no mundo inteiro, já que o Influenza sofre mutações periódicas”.

Onde se vacinar

A vacina trivalente, que contém dois tipos de vírus Influenza A: H1N1 e H3N2 e um tipo de Influenza B, o Victoria, está disponível gratuitamente nos postos de saúde em todo o Brasil para os grupos de risco listados pelo MS.

Clique aqui e veja as categorias de risco, com indicação da vacina influenza sazonal, do Ministério da Saúde.

Na rede privada, a vacina trivalente e a quadrivalente – com os mesmos três tipos de vírus mais comuns e um tipo de vírus a mais, o Yamagata – são vendidas aos interessados em se imunizar contra o Influenza. “A quadrivalente é um pouco mais completa, pois tem uma proteção a mais. No entanto, o vírus que tem causado óbito é o H1N1, que está disponível tanto na rede pública, quanto na privada”, reforça o Dr. Aroldo Prohmann de Carvalho, ressaltando que “a vacina é produzida com vírus inativado, ou seja, não é vírus vivo e, portanto não tem a menor chance de causar a doença”.

Clique aqui e leia a íntegra da carta enviada pelo Ministério da Saúde à SBP