carregando...

SBP e Sociedade Tocantinense denunciam irregularidades em hospital pediátrico

SBP em Ação 04/09/2015
IMG-20150903-WA0000
Na visita ao hospital, os drs. Eduardo Vaz e Larissa Nascimento, a agrônoma e diretora do hospital, Leiliane, dra. Greice (ex-presidente da filiada) e outros profissionais

Drs. Eduardo da Silva Vaz e Dennis Burns, da direção da SBP, estiveram ontem em Palmas, juntamente com as dras. Larissa Nascimento e Greice de Cássia Oliveira, presidente e ex- presidente da Sociedade Tocantinense de Pediatria (STOP).  Os dirigentes visitaram hospital pediátrico, conversaram com médicos e residentes e tiveram audiência com secretário de Saúde. Na pauta, irregularidades no Hospital Infantil Público de Palmas (HIPP), dentre as quais, superlotação.

Em entrevista à TV Anhanguera, afiliada da TV Globo no Tocantins, o presidente da SBP disse que há crianças em maior número que leitos e pacientes com suas mães em macas nos corredores. “Você chega ao hospital e é bem atendido pelos pediatras, porém, não há instalações adequadas”, salientou.

Todas as alas foram visitadas, desde o armazenamento de medicamentos até o setor de diagnósticos. Uma preocupação da presidente da filiada no Tocantins é a contratação de profissionais sem a residência médica em pediatria. “Alguns são recém-formados e não têm a capacitação necessária”, informa Larissa Nascimento.

Segundo a pediatra Léa Miranda, que atende no HIPP, a capacitação que a direção do hospital oferece é um curso de três dias em São Paulo. “Estou na residência e vou estudar por dois anos. Agora a nossa diretora diz que está capacitando pessoas para fazer pediatria com um curso de três dias em São Paulo. Se isso for capacitar, então, eu não sei o que faço”, lamenta.

SUS e qualidade

Drs. Eduardo e Dennis reuniram-se também com representantes do governo na Secretaria Estadual de Saúde para tentarem resolver os problemas encontrados. “Vamos levar a denúncia até a Associação Médica Brasileira, ao Conselho Regional de Medicina e a todas as entidades representativas da classe”, disse o presidente da SBP. A Maternidade Dona Regina também foi vistoriada pelos representantes da SBP.