carregando...

Vacina contra HPV está disponível no SUS para meninas de 9 a 11 anos

SBP em Ação 10/03/2015

informativo 25 hpvO vice-presidente da SBP, Paulo Poggiali, participou, nesta segunda-feira, em Belo Horizonte (MG), do lançamento da campanha de vacinação do Ministério da Saúde contra o Papiloma Vírus Humano (HPV). Com objetivo de prevenir o câncer do colo do útero, a vacina este ano está disponível no SUS para meninas de 9 a 11 anos:

– “Considero muito positiva a antecipação da idade de imunização, pois aumenta consideravelmente a possibilidade das adolescentes receberem a terceira dose antes do início da vida sexual, ficando totalmente protegidas da doença”, salienta o dr. Paulo.

No ano passado, o Sistema Público promoveu a vacinação do grupo de adolescente de 11 a 13 anos. Em 2015, também estão incluídas mulheres de 9 a 26 anos que vivem com HIV e têm probabilidade cinco vezes maior de desenvolver câncer no colo do útero do que a população em geral.

“A vacina é extremamente segura. Além da menina, os estudos mostram que a comunidade também fica protegida”, disse o ministro da Saúde, Arthur Chioro, que recomendou que estados e municípios façam parceria com escolas públicas e privadas.

Esquema do SUS – Para receber a dose, basta apresentar o cartão de vacinação e o documento de identificação. Cada adolescente deverá tomar três doses para completar a proteção. De acordo com o esquema do SUS, a segunda dose deve ser tomada seis meses depois, e a terceira, cinco anos após a primeira dose.

O Ministério da Saúde informa que as meninas de 11 a 13 anos que só tomaram a primeira dose no ano passado também podem aproveitar a oportunidade de se prevenir e procurar um posto de saúde ou falar com a coordenação da escola para dar prosseguimento ao esquema vacinal. Isso também vale para as meninas que tomaram a primeira dose aos 13 anos e já completaram 14.

Para as mulheres que vivem com HIV, o esquema vacinal também conta com três doses, mas com intervalos diferentes. A segunda e a terceira doses serão aplicadas dois e seis meses após a primeira. Nesse caso, elas precisarão apresentar a prescrição médica.

Desde março de 2014, o SUS oferece a vacina quadrivalente, que confere proteção contra quatro subtipos do vírus HPV (6, 11, 16 e 18), com 98% de eficácia em quem segue corretamente o esquema vacinal. Os subtipos 16 e 18 são responsáveis por cerca de 70% dos casos de câncer do colo do útero em todo mundo e os subtipos 6 e 11 por 90% das verrugas anogenitais.

A vacina contra HPV tem eficácia comprovada para proteger mulheres que ainda não iniciaram a vida sexual e, por isso, não tiveram nenhum contato com o vírus. Hoje, é utilizada como estratégia de saúde pública em mais de 50 países, por meio de programas nacionais de imunização. Sua segurança é reforçada pelo Conselho Consultivo Global sobre Segurança de Vacinas da Organização Mundial de Saúde (OMS).

Prevenção – Tomar a vacina na adolescência é o primeiro de uma série de cuidados que a mulher deve adotar para a prevenção do HPV e do câncer do colo do útero. No entanto, a imunização não substitui a realização do exame preventivo e nem o uso do preservativo nas relações sexuais.

O HPV é um vírus transmitido pelo contato direto com pele ou mucosas infectadas por meio de relação sexual. A transmissão também pode ocorrer da mãe para filho no momento do parto.