carregando...

Brasil perde o Doutor Noronha

Tome Nota 27/07/2016

Dr-Noronha

Com pesar, a Sociedade Brasileira de Pediatria informa o falecimento do dr. Noronha, aos 71 anos, ex-presidente e um dos fundadores da Sociedade de Pediatria do Piauí (Sopepi), no último dia 22, em Teresina (PI), onde morava. O pediatra e professor Antônio de Noronha Pessoa Filho era especialista em Medicina do Adolescente e referência para gerações de profissionais e de pacientes. Atendia em hospitais e em seu consultório. “O dr. Noronha, me ajudou muito na administração da entidade. Sempre presente, participava de reuniões e nos emprestava seu carisma e ideias inovadoras”, comenta o atual presidente da Sopepi, Alberto Rego Monteiro, lamentando a perda do colega e amigo. Político, foi secretário Estadual de Educação e Cultura e prefeito de Monsenhor Gil, onde nasceu. Levou a educação a diferentes cidades do interior do estado, incentivou a cultura, sendo responsável pela divulgação do trabalho do mestre Luís Pereira de Andrade, o Zé Coelho, e como consequência, também pela preservação do Balandê/Baião, dança de ascendência negra, vinda dos escravos e que colocou o Piauí em evidência no país. Era um incentivador das tradições, da cultura regional e incentivou vários artistas.

Considerado um homem determinado e brilhante, o dr. Noronha escrevia regularmente na imprensa e participou de inúmeras iniciativas, como jornais alternativos, revistas e shows musicais, muitos dos quais patrocinou pessoalmente. Na década de 1970, trabalhou com o poeta Torquato Neto em um projeto cinematográfico em Super 8.

Figura lendária no estado, autor de livros, conhecido também por possuir um enorme acervo de LPs, CDs e DVDs, segundo o diretor teatral Arimatan Martins, dr. Noronha foi o único cidadão teresinense “que tirou a Câmara de Vereadores dos trilhos”, porque preferiu receber o título de Cidadão Teresinense no Espaço Cultural Trilhos, como ocorreu, de fato. Recentemente, ajudou a fundar o coral da Associação dos Cegos do Piauí (ACEP)

 

Saiba mais sobre o dr. Noronha Filho:

O balandê, o baião, o Monsenhor e o mestre (Portal do Governo do Estado do Piauí/ Paixão pelo Piauí, texto de Carlos Lustosa Filho, 13/11/2012) 

Entrevista à revista Revés. 

 IMG-20160726-WA0017